domingo, 14 de dezembro de 2008

Florbela...

"Quem me dera encontrar o verso puro, O verso altivo e forte, estranho e duro, Que dissesse a chorar isto que sinto!"

Se tu viesses ver-me...

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca

Florbela Espanca

Mi mal

Me conozco muy bien, sé mi color,
conozco el nombre de mi extraño mal:
y sé que fui encaje de vitral,
que fui ciprés, carabela y dolor.

Fui todo cuanto existe de mayor:
fui cisne, lirio, cóndor, catedral,
y fui tal vez un verso de Nerval
o una cínica risa de Chamfort...

Fui la heráldica flor de agrestes cardos,
su olor mis manos dieron a los nardos...
a la adelfa le dio color mi boca...

¡Ah! De Boabdil fui lágrima en España
y me traje de allí este ansia extraña.
¡Dolor no sé de qué! ¡Saudade loca!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

"...Não simule.... não me cure de você...
Deixa o amanhã dizer..." Marisa Monte

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Frida Kahlo


Diego e Frida


Casa de Frida


Frida









Para pensar...

“As coisas de que o corpo precisa são facilmente obtidas por todos sem labor ou dificuldade; as coisas que exigem labor e são difíceis de obter e oneram a vida são desejadas, não pelo corpo, mas por um estado ruim da mente.” (Demócrito, século V A.C.)

Chico Buarque

Desci à avenida Atlântica, chuviscava, a praia estava deserta, as águas escuras e crespas. Busquei abrigo num quiosque, e me perguntei se algum dia saberia viver longe do mar, em cidade que não terminasse assim num acidente, mas agonizando para todos os lados.

Chico Buarque - Budapeste, página 41 (Companhia das Letras)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

O Dom da Poesia (Fragmento)


Deixa a palavra escorregar,

Como um jardim o âmbar e a cidra,

Magnânimo e distraído,

Devagar, devagar, devagar.
(1917)
Boris Pasternak


Abro as veias: irreprimível, Irrecuperável, a vida vaza. Ponham embaixo vasos e vasilhas! Todas as vasilhas serão rasas, Parcos os vasos. Pelas bordas - à margem - Para os veios negros da terra vazia, Nutriz da vida, irrecuperável, Irreprimível, vasa a poesia.(1934)
Tradução de Augusto de Campos
Nova Antologia Poesia Russa Moderna Editora Brasiliense/1985


Arte: Nathan Altman





Não, não sou eu, é alguém mais que sofre. Eu não teria podido. Panos negros de lã cubram

O que se passou, E levem embora os lampiões................................Noite.


"Portrait of Anna Akhmatova"


http://www.lumiarte.com/luardeoutono/annakhmatovaab.html

domingo, 30 de novembro de 2008

" A absoluta simplicidade e o despojamento da vida que o homem levava nos tempos primitivos tinham pelo menos a vantagem de deixá-lo ser hóspede da natureza. Quando se sentia retemperado pelo alimento ou pelo sono, tinha a estrada novamente diante de si. Morava neste mundo como se fosse numa tenda e estava sempre palmilhando vales, cruzando planícies, galgando cumes de montanhas. Mas vejam só! Os homens se transformaram nos instrumentos dos instrumentos. Aquele que na maior liberdade apanhava os frutos nas árvores quandos sentia fome, tornou-se agricultor; o que se deixava ficar debaixo de uma árvore por abrigo, virou caseiro. Não mais acampamos por uma noite, mas nos instalamos na terra esquecidos do céu".
Thoreau- Walden ou a vida nos bosques
O que você faz em uma noite de domingo? Fica em frente a TV assistindo aquilo que todo mundo vê? Ou dá um tempo pra si mesmo? Um tempo pra pensar, pra não pensar em nada... pra calar... pra ouvir música... pra escrever o que te vem à mente... pra não escrever nada... pra imaginar coisas... planejar... sonhar... rever seus passos... ter esperanças... ou perdê-las... mas ter um tempo pra isso... pra ser você mesmo... você com seus sentimentos... sem outras vozes pra te desviar de quem você é... sem condenações, julgamentos, culpas, sem meias verdades... apenas você...com você mesmo... seus segredos e suas vontades... Um jazz... um vinho... só pra você... você e o seu silêncio, te dizendo aquilo que você precisa ouvir!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

"...como alguém que se mantém à tona num naufrágio por subir no topo de um mastro que já se desmorona. Mas dali ele tem uma oportunidade de fazer sinais que levem à sua salvação." Walter Benjamin numa carta a Gerhard Scholem datada de 17 de abril de 1931.

Esconder

O olhar impávido esconde a raiva
O sorriso solto esconde um nó na garganta
O andar confiante esconde um tremor nas pernas
A conversa sem grande profundidade esconde o que vai na alma
A teimosia esconde a vontade de fazer
A mentira esconde a verdade
O medo esconde a paixão

Fuma-se um cigarro e esconde-se o tempo


Banda Sonora
Bullet with butterfly wings, Smashing Pumpkins
"A pessoa que não consegue enfrentar a vida - sempre precisa, enquanto viva, de uma mão para afastar um pouco de seu desespero pelo seu destino... mas com a sua outra mão ela pode anotar o que vê entre as ruínas, pois vê mais coisas, e diferentes, do que as outras; afinal está morto durante sua vida e é o verdadeiro sobrevivente."



Franz Kafka. Diários. Apontamentos de 19 de outubro de 1921.
"O que quer que eu pense deve se manter em comunicação constante com tudo aquilo que já foi pensado". Hanna Arendt. Homens em Tempos Sombrios.

"Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém.
Provavelmente a minha própria vida"
(Clarice Lispector)

....


Nestes dias
tive uma vontade danada
de andar de bicicleta,
comprei uma.
Meu problema agora
é encontrar as ruas da minha infância.

Leonor Cordeiro

....

"Estamos todos deitados na sarjeta,
mas alguns estão olhando para as estrelas."

Oscar Wilde

"A questão é: quanta realidade se deve reter mesmo num mundo que se tornou inumano, se não quisermos que a humanidade se reduza a uma palavra vazia ou a um fantasma? Ou, para colocá-la de outra forma, em que medida ainda temos alguma obrigação para com o mundo, mesmo quando fomos expulsos ou nos retiramos dele?" Hanna Arendt. Homens em Tempos Sombrios.
"A história conhece muitos períodos de tempos sombrios, em que o âmbito público se obscureceu e o mundo se tornou tão dúbio que as pessoas deixaram de pedir qualquer coisa à política além de que mostre a devida consideração pelos seus interesses vitais e liberdade pessoal"

(Hannah Arendt no livro Homens em Tempos Sombrios)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Quem é você?

Uma sobra do passado...
um presente confuso...
uma lembrança tão viva
que chega a doer...
uma fome
sede
vontade
calor
SAUDADE!

Matita-Perê



Cadê maestro Jobim?
"Não importa a noite, de qualquer maneira nós vamos brincar..." Zeca Baleiro

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Começo a conhecer-me. Não existo.
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
Ou metade desse intervalo, porque também há vida...
Sou isso, enfim...
Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor.
Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo.
É um universo barato.

Alvares de Campos

Blanco - Marisa Monte


Me vejo no que vejo
Como entrar por meus olhos
Em um olho mais límpido
Me olha o que eu olho
É minha criação
Isto que vejo
Perceber é conceber
Águas de pensamentos

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Matita Perê...


"Um tal de Chico chamado Antônio
Num cavalo baio que era um burro velho
Que na barra fria já cruzado o rio
Lá vinha Matias cujo o nome é Pedro
Aliás Horácio, vulgo Simão
Lá um chamado Tião
Chamado João"

(...)

Tom Jobim

Só tinha de ser com você - Tom Jobim

É,
Só eu sei
Quanto amor
Eu guardei
Sem saber
Que era só
Pra você.

É, só tinha de ser com você,
Havia de ser pra você,
Senão era mais uma dor,
Senão não seria o amor,
Aquele que a gente não vê,
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.

É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber
Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.

É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber
Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.

domingo, 19 de outubro de 2008



Talvez eu não precise dizer mais nada...


convencer ninguém de coisa alguma...


ou dar significado ao que quer que seja ...


talvez eu precise apenas saber...


que cada um de nós vê... o que ninguém vê....


Idas e vindas

Idas e vindas
de pensamentos
pessoas e momentos
sons e viagens...

eu penso
mas me calo
sinto
e na solidão
me instalo
e aí então sou eu
pensando...sentindo... lembrando... vivendo...
de repente você
tão presente
como sempre
e tudo se encaixa
sei e não sei
ruas e avenidas
noites como aquela
ou vazias como... nunca são vazias... eu ia tentar dizer... mas você tem razão...
você é mais forte que isso tudo que tenta me prender...
você chega e tudo perde o sentido... tudo se desfaz...
tudo se acalma... tudo toma o seu lugar...
noites claras... aconchego... luz... colo... voz... sono....
e você está onde deveria estar...
e seus olhos dizem tudo que ninguém mais pode dizer...
TSC

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Há confusões que é bom evitar
confusões de sentimentos
de pensamentos
de saudades...
Há momentos para se guardar
não para esquecer...
Há amizades a cultivar
para não se transformar em vazios
ou sentimentos sem sentido...
Há caminhos a seguir
para não voltar atrás
para fazer valer
para fazer sentir
para simplesmente viver!
Talvez o amor seja ceder...
olhar de novo pra você
e acreditar!
Talvez o amor seja calar
e apenas sentir,
deixar acontecer
olhar pra frente
olhar nos seus olhos
ver seu sorriso
e esquecer
o que precisa ser esquecido!

domingo, 12 de outubro de 2008

Frases de filmes

Amor e Outros Desastres
"Talvez o amor verdadeiro seja uma decisão. Decisão de correr um risco com alguém... dar-se, sem se preocupar se vão dar algo em troca ou magoar você ou se é a pessoa certa... talvez o amor não seja algo que aconteça, talvez seja uma escolha."

Dizem por Aí
"..é como se estivesse possuída por alguém morta de medo e maluca. ..sei que nos damos bem. você é a única pessoa com quem posso ser eu mesma, mesmo que não saiba quem eu sou."

As canções de amor; Christophe Honoré


Ama-me menos, mas por muito tempo. (Ismael)


quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Não te quero... senão te quero...

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,como um cego.
(...)
Pablo Neruda

sábado, 27 de setembro de 2008

Se você pudesse entrar em meus pensamentos...
agora, por apenas dez segundos
talvez entenderia o porque da minha ausência
você pode estar pensando agora
procurando saber
ou entender
mas também pode nem ter notado
não ter parado pra pensar
no significado de tudo isso...
Algo me diz que as coisas não são o que parecem
e muitas palavras são vazias... palavras de efeito...
um esconderijo... uma luta vã...
Talvez uma dia você entenda
e eu também entenda...
mas por mais que eu tente nao pensar
a cada dia aumenta mais a dor dessa saudade!
Na mente seu sorriso
e tudo então é confusão
não há controle... pensamentos... sentimentos... saudades... nada...
Razão? Nenhuma!
Droga!
Tudo certo e sem sentido....
Nem eu mesma consigo entender...
Eu queria falar contigo agora... mas não posso, me desculpe...
Não posso fazer isso...
Há algo em mim hoje que não permite...
Mas isso ainda me consome...
e nunca ninguem entenderia...
nem mesmo saberia,
que é você que consome todas as minhas vontades
todos os meus pensamentos
toda a minha saudade!

Silêncio

Tudo é silêncio
para não dizer o que não deve ser dito
para procurar entender o que poderia ter sido
e o que ainda virá...
Não sei o que aconteceu ontem
esquecimento...
esquecimento que num primeiro momento... um susto...
e depois, alívio, um bom sinal... apenas um bom sinal...
O que é você em meus pensamentos?

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Convém em certas ocasiões, ocultar o que se traz no coração...
Molière
Você pode pensar o que quiser...
do louco e absurdo universo que você criar
é pra você mesmo que estará criando...
não quero nem preciso fazer parte dele!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

domingo, 7 de setembro de 2008

Os Homens Ocos


"A penny for the Old Guy"
(Um pêni para o Velho Guy)


Nós somos os homens ocos
Os homens empalhados
Uns nos outros amparados
O elmo cheio de nada. Ai de nós!
Nossas vozes dessecadas,
Quando juntos sussurramos,
São quietas e inexpressas
Como o vento na relva seca
Ou pés de ratos sobre cacos
Em nossa adega evaporada

Fôrma sem forma, sombra sem cor
Força paralisada, gesto sem vigor;

Aqueles que atravessaram
De olhos retos, para o outro reino da morte
Nos recordam - se o fazem - não como violentas
Almas danadas, mas apenas
Como os homens ocos
Os homens empalhados.

T. S. Eliot

sábado, 6 de setembro de 2008

Josué de Castro


"Denunciei a fome como flagelo fabricado pelos homens, contra outros homens".
Muitas vezes
a solidão acompanhada de si mesmo
é mais VIDA
que uma presença IRRITADIÇA....
Há um silêncio em mim
que diz coisas que preciso ouvir...

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Virgínia Woolf

"Quem medirá o chapéu e a violência do coração dos poetas quando capturados e aprisionados no corpo de uma mulher?"

terça-feira, 19 de agosto de 2008

domingo, 17 de agosto de 2008

...

Há poucas certezas dentro de mim
e tudo pede mudança
pede com força, com sede, com intensidade
não há mais espaço pra aquilo que se foi
e que não tem como voltar a ser
não há como insistir nos mesmos erros
não há como voltar a ser aquilo que eu não via
e hoje vejo
não há como calar, ver e ignorar
não há como me perder
não há como me prender...
palavras que não fazem sentido
que não ouço
não sinto
não fazem mais parte de mim
um eu que você vê mas que não sou eu... é você
tentando se ver em mim
mas nada encontra!
...

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Nunca vi tanta poesia em uma pintura como na de Frida... tantos sentimentos, tantos desejos e frustrações... amor e ódio... esperança e medo... superação e força, cores e vida... acima de tudo: vida! Mesmo em meio a tantas dores e tragédias, uma vida que se realiza nas cores, na tela, nas suas mãos... "Quem quer que haja construído um novo céu, só no seu próprio inferno encontrou energia para fazê-lo!" Nietszche

Frida

Um eu que se liberta
e outro que agita
um eu que chama
e outra que cala
um eu que grita
e outro que se acomoda
um eu que procura respostas
e outro que nada pergunta
um eu que mostra coragem
e outro... medo
um eu que te chama
e outra que recua
um eu que te ama
e outro que ama uma ausência indefinida
que quando se torna presença viva
nada mais importa
um eu que não liga
pro teu silêncio
e outro que clama pela sua voz
um eu que não se importa
e outro que sabe aquilo que não se deveria saber...
um eu que encontra uma alma viva
e outro que luta pra não senti-la
um eu que busca aquele que não confunde
que apenas vive e deixa viver
mas esse é o perigo
algo escondido
que não possa ser controlado
só sentido...
e aí... tudo realmente se mistura
se transforma
e me encontro!
Algo que desafia
inquieta
chama
murmura
ama
continua
silencia
dorme
volta
olha
sente
incendeia
deseja
imaginar é pouco...

domingo, 3 de agosto de 2008

sábado, 2 de agosto de 2008

...

Nada sob controle
e tudo fora de mim
Tudo sem sentido
e você continua aqui
e eu não sei o que te dizer
não sei o que sentir...
não sei mais nada sobre você
nem reconheço o seu passado
do qual faço parte
não reconheço seu rosto
nem mesmo seus olhos
onde eu me via
e me perdia
Eu procuro
Eu busco
mas não te encontro mais
e me perco
tanto em mim mesma
tanto na minha própria vida
que não encontro mais lugar
pra aquilo que foi
e que não sei mais o que será...
e quando você me olha
eu chego a pensar
e a procurar
mais um pouco
mas vem coisas
que eu quero esquecer
e que você finge que nunca aconteceram
como se fosse possível
passar por cima
de restos
dores
lixos
O tempo não parou
e eu não quero mais voltar atrás
hoje meu coração pulsa
vive
e sente o chão, o pó, a chuva, respira, dorme profundamente...
ah...que sono profundo e sereno
e que manhã
cheia de vida e paz
uma paz que não quero que ninguém
nem você
tire de mim!

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Frida


"Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pintei minha própria realidade".

Pablo Neruda, o poeta das coisas

E foi naquela Época... A poesia chegou me procurando. Eu não sei, não sei de onde ela veio, se de um inverno ou de um rio. Eu não sei como nem quando. Não, não eram vozes, não eram palavras, nem silêncio; mas de uma rua eu fui chamado abruptamente dos ramos da noite, dos outros, no meio de um tiroteio violento, e num retorno solitário lá estava eu sem um rosto... e ela me tocou.

.

Neruda

Aqui na ilha há tanto
mar,

O mar e mais o
mar.

Ele transborda de tempo em
tempo.

Diz que sim, depois que
não,

Diz sim e de novo
não.

No azul, na espuma, em
galope

Ele diz não e novamente
sim.

Não fica tranqüilo, não
consegue parar.

Meu nome é mar ele
repete

Batendo numa pedra, mas sem
convencê-la.

Depois com as sete línguas
verdes

De sete tigres verdes, de
sete cães verdes,

De sete mares
verdes

Ele a acaricia, a beija e a
umedece;

E escorre em seu
peito

Repetindo seu próprio
nome.

O Carteiro e o Poeta (Neruda declama e pergunta a opinião de Mário sobre esse poema, em uma cena que se passa à beira-mar.)

...

A falta de sentido
a própria confusão de sentidos
a palavra e o ato
a palavra está vazia
e o sentir está cheio
a saudade insiste
e o peito adormece
até que você volte!

...

Não sei por que te quero
senão porque te quero
e te quero e te espero
temia querer-te e nunca esquecer-te
mas meu coração acostumou-se contigo
com essa saudade que se alimenta
da sua rara e forte presença
porque quando tú estás
nada mais importa
e nenhuma outra escolha me levaria
pra longe dos teus braços!

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Eu

Seu nada me consome
me cala
pra não dizer
que não sinto
e o que sinto
calo!

TSC


terça-feira, 29 de julho de 2008

...

“É necessário estar sempre embriagado. Tudo está aí: é a única questão. Para não se sentir o horrível fardo do Tempo que quebranta os vossos ombros e vos curva em direcção à terra, deveis vos embriagar sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, como quiserdes. Mas embriagai-vos.”

Charles Baudelaire

Mulheres e homens...

"As mulheres, durante séculos, serviram de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de refletirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural". Virgínia Woolf

Poema do diário de Frida

Diego. princípio
Diego. construtor
Diego. meu bebê
Diego. meu noivo
Diego. pintor
Diego. meu amante
Diego. meu marido
Diego. meu amigo
Diego. meu pai
Diego. minha mãe
Diego. meu filho
Diego. eu
Diego. universo
Diversidade na unidade.
Porque é que lhe chamo Meu Diego?
Ele nunca foi e nem será meu.
Ele pertence a si próprio.

Frida

Tempo e Espaço

Tempo e espaço
pra respirar
pra viver
pra ser
pensar
sorrir
chorar
esquecer
ou lembrar
pra brincar
e escrever
pra calar
fechar os olhos
sentir saudades
não sentir nada
ou tudo
pra abraçar
e ser abraçado
pra ser um
e ser muitos
revelar o novo
no velho
e seguir...
TSC

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Flow of Life

There is a time
when words are useless,
and feelings are here and there,
feeling you all
without leaving any place
for being rational, intellectual. . .

There is a timewhen you do not say, my love,
when love has no meaning,
when everything goes by,
without asking permission
to be here or to go there. . . .

There is a time
when you feel pushed to nowhere,
when life goes towards the unknown
and you just ask to go fast and fast,
to arrive there and perhaps, restart again. . . .

Rejane Planer
"Entre coisas simples
e outras tantas, tão complicadas
Entre o que entendo
e o que deixo de entender
Está esse amor que passa desapercebido
presente para sempre
E ausente, simplesmente"

REJANE SPIEGELBERG

Nada é impossível de mudar

Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo,
o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito
como coisa natural,
pois em tempo
de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.

Bertolt Brecht

Paulo Leminski

Eu
quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro
ou está por fora
quem está por fora
não segura
um olhar que demora
de dentro de meu centro
este poema me olha

Convite

Poesia é brincar com palavras
como se brinca com bola,
papagaio, pião.
Só que bola, papagaio,
pião de tanto brincar se gastam.
As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas mais novas ficam.
Como a água do rio
que é água sempre nova.
Como cada dia
que é sempre um novo dia.
Vamos brincar de poesia?

José Paulo Paes

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Clarice

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi."
....
"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo".
....
"É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo".
....
"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros".
...
"E é inútil procurar encurtar caminho e querer começar já sabendo que a voz diz pouco, já começando por ser despessoal. Pois existe a trajetória, e a trajetória não é apenas um modo de ir. A trajetória somos nós mesmos. Em matéria de viver, nunca se pode chegar antes. A via-crucis não é um descaminho, é a passagem única, não se chega senão através dela e com ela. A insistência é o nosso esforço, a desistência é o prêmio. A este só se chega quando se experimentou o poder de construir, e, apesar do gosto de poder, prefere-se a desistência. A desistência tem que ser uma escolha. Desistir é a escolha mais sagrada de uma vida. Desistir é o verdadeiro instante humano. E só esta, é a glória própria de minha condição. A desistência é uma revelação".
....
Hoje não quero escrever... não agora... minha leitura da Clarice hoje fala por mim...

...

"...estou procurando, estou procurando. Estou tentando me entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda".
Clarice Lispector
Gosto da Clarice porque ela escrevia com a alma, e ao ler seus livros é como se a gente pudesse sentir a sua dor com o mundo... é como ler algo que a gente gostaria de ter escrito, mas não sabia como...

Machado de Assis

Há coisas que melhor se dizem calando.

...

"O passado é que veio até mim, como uma nuvem, vem para ser reconhecido; apenas não estou sabendo decifrá-lo".
João Guimarães Rosa

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Um pouco de mim que não nega
e um pouco que esquece
um pouco que chega
e outro pouco que se afasta
medo? talvez....
mas ainda amor...

...

"Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo".

Pablo Neruda


Nós

"Para meu coração basta teu peito
para tua liberdade bastam minhas asas.
Desde minha boca chegará até o céu
o que estava dormindo sobre tua alma".

Pablo Neruda

?

...

Tudo novamente volta forte e claro
e de repente se esconde...
uma incerteza que cresce e toma todos os sentidos
procuro uma fuga pra esquecer
um caminho pra seguir
um lugar aberto pra respirar
uma música suave pra ouvir
procuro ver você
quando fecho os olhos
ver seu sorriso
sentir seu calor
procuro nao me perder longe de você
encontrar o caminho de volta
e seguir...

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Futuros Amantes

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa ele pode esperar
Em silêncio num fundo de armário
Na posta-restante milênios, milênios No ar
E quem sabe, então o rio será

Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas sua alma, desvãos
Sábios em vão tentarão decifrar

O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas mentiras,
Retratos vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não que nada é pra já

Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia deixei pra você
Chico

Vinicius

Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham a você.
Assim como o Oceano, só é belo com o luar
Assim como a Canção, só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem, só acontece se chover
Assim como o poeta, só é bem grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor, não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você!

Só poetas

Só poetas: Drummond, Vinicius, Bandeira, Quintana e Paulo Mendes Campos, na casa do cronista Rubem Braga. Rio de Janeiro, 1966

Nada espero...vivo

Sem esperas
Sem certezas
no silêncio
no momento
você
calor
pele
cheiro
noite
nada sei
nem procuro
mas realizo
neste momento
um pouco deste desejo...

quarta-feira, 16 de julho de 2008

O amor antigo

O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

Carlos Drummond de Andrade
Você aqui tão perto
mas em muitos momentos
chego a desejar que você esteja distante
Por alguns segundos
volto a te amar
com fúria
e sabor
e de repente
tudo se perde novamente
como uma névoa escura
que nunca se dissipa...

domingo, 13 de julho de 2008

Não sei o que se passa
aqui dentro de mim
com tanta coisa acontecendo
tanto por fazer
tanto por pensar
é em você que meu coração está!
Não falarei tudo o que sinto
não demonstrarei minhas fraquezas
não te ofereço esse silêncio
me calo pra não dizer
o que sinto por você!
O que você pensa
sente
quando vai embora
e meu cheiro fica impregnado no seu corpo
quando você sente
que minha saudade te chama
e implora por você?
fases e mistérios
lua do dia
dia claro
tudo se confunde
e inspira...
viagens
e sonhos
perdidos?
Meu vazio de você
se esquece de esquecer
lembra volta ama e odeia
cala consente e chama
pede e implora ajuda pra não partir
e voltar a acender uma chama que se apaga

Lua nua

Lua nua de segredos
degredos
sonhos
pontes e ruas
não me deixe só
porque eu partiria sem olhar atrás...
Suportei teu silêncio
tuas palavras duras
teu momento amargo
teu desprezo
tua doçura
teu calor
tua ausência
teus medos
tuas mentiras
tuas verdades escondidas
teus desejos
tuas vontades
tua espera
tua saudade
tua partida
e...
então
aguardo
tua volta!
Por onde andam meus pensamentos
vagos como o tempo
ali você está
e mesmo que eu chegue a achar que me esqueço...
você continua ali
tão forte
...

me calo
porque não poderia dizer aqui
o que sente hoje esse meu tão inquieto e irracional coração...

Saudade

Saudade
palavra que dói
os olhos se fecham
tentam criar sua imagem
sentir seu cheiro
seu abraço
seu calor
seu conforto
suas mãos
em alguns momentos
tudo parece mais fácil
meu corpo parece esquecer
e de repente
sua presença se faz sentir
tão forte
tão sua
não há motivos
nada
não há nada
só essa saudade....

Me perdi

Me perdi em você
e nunca mais me encontrei
procuro um refúgio
em meio a essa saudade
chego a acreditar que te esqueço
e de repente
ali está você de novo
mais presente do que tudo ao redor
não entendo
de onde vem
como sobrevive
é um sentir
mais forte
do que eu possa controlar
é uma espera
uma espera
pronta a devorar você!
Só mesmo você conseguiria entender
tantas palavras soltas
loucas
com sede de você!

domingo, 6 de julho de 2008

Clarice Lipector

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.
...
Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Florbela...

"A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente".

Cegueira Bendita

Ando perdida nestes sonhos verdes
De ter nascido e não saber quem sou,
Ando ceguinha a tatear paredes
E nem ao menos sei quem me cegou!

Não vejo nada, tudo é morto e vago…
E a minha alma cega, ao abandono
Faz-me lembrar o nenúfar dum lago
´Stendendo as asas brancas cor do sonho…

Ter dentro d´alma na luz de todo o mundo
E não ver nada nesse mar sem fundo,
Poetas meus irmãos, que triste sorte!…

E chamam-nos a nós Iluminados!
Pobres cegos sem culpas, sem pecados,
A sofrer pelos outros té à morte!

Florbela Espanca - Trocando olhares - 24/04/1917

Acalanto pra você


Eu canto pra você dormir

A terra gira sem ter fim

O sol se esconde não sei

Onde

Escurece a noite cresce

Eu canto e você já dormiu

A terra gira por um fio

A lua brilha, minha filha

Eu canto este acalanto



Composição: Ná Ozzetti/Nico Prates/Edith Derdyk




sexta-feira, 4 de julho de 2008

Flores na janela


Flores na janela

Uma vida que se abre

E esquece de esquecer

Pelo menos uma trégua

Pra tentar descobrir

Se ainda é amor!