terça-feira, 26 de maio de 2015

Eu te devoro

teus sinais me confundem da cabeça aos pés
mas por dentro eu te devoro
teu olhar
não me diz exato quem tu és
mesmo assim eu te devoro
te devoraria a qualquer preço
porque te ignoro ou te conheço
quando chove ou quando faz frio...

eu quero mesmo é viver pra esperar, esperar
Devorar você!

sexta-feira, 22 de maio de 2015

reticências...

me diga qual o significado das reticências? possuem poderes ilimitados dizem mas não dizem nada ... ou seja, há mais a se dizer depois das reticências... mas não são ditas... as palavras não saem... ... me diga

...

não sei o que estou fazendo ou pensando ou deixando de fazer não sei

quinta-feira, 21 de maio de 2015

isso tudo está sendo bastante perturbador
mais do que consigo admitir...

sexta-feira, 15 de maio de 2015

são cenas desconexas
pensamentos soltos
mas você viu tudo ontem a noite
ou nada
me esqueci
ou fingi não entender
qualquer coisa
além disso não sei o que escrevo na madrugada
gosto da sua voz
então, o que eu sou...
me escondo
entre palavras e divagações
gosto da sua presença
do que você diz
e mesmo do seu silêncio
eu gosto...

eu gosto da madrugada... me entendo com ela
cafés, ruas, a cidade
a noite
a madrugada
 e você olhou... olhou pra trás...
e sorriu! 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Medianeras


letra por letra...


manias
mundo moderno...
quão moderno isso é
você sabe que isso tudo é só ironia
ironia
cheiro de jasmim
e eu misturo o filme
com a letra dessa musica
de lembranças
de sonhos possíveis
e impossíveis
e com meu cavalo negro eu apronto...



eu ia deixar um aviso
fino e direto
mas que não sei se serve
ou se e real
isso e fantasia
brinquedo de criança marota
ou isso e cantoria
de pássaro que quer voar
isso e tão barato
na sua noite vazia
ou isso e tão escuro no seu peito cheio de dor...
....


sabe aquela cena de filme argentino
no canto da casa, na iluminação da rua
no silêncio
no vazio...


eu fui ouvir o que você gosta
até ouvi um pouquinho
mas voltei pra mim...
um espaço abstrato e magico
anonimato...
angustia existencial
particular
viagem
rotina
cotidiano
que se quebra
quando você ouve algo
quando você acha que sentiu algo
você está ai
...
e tudo parece estar bem, mas está confuso
como as palavras
num blefe
e essa palavra é sua...
fale alguma coisa
eu não vou dizer mais nada
fale se quiser
se quiser prolongar a conversa
eu gosto mesmo de conversar com você
gostei do seu livro
da forma como você vê o mundo
mas são coisas misturadas aqui
coisas demais
diferentes
dois
mundos
a povoar meus pensamentos
os filmes que vejo
com a trilha sonora que eu escolho
que eu quero
são apenas
pedaços
de mim...
filmes argentinos
iranianos
franceses
filmes
na madrugada
na terça ou na quarta
mesmo na segunda-feira
a segunda-feira
está sendo meu refúgio
do fim de semana conturbado
as semanas são mais intensas
nelas estão todos os sonhos
e segredos
o segundo andar
eu preciso
de uma boa musica
de um bom filme
de um bom vinho talvez
do escuro
de uma caneta
e de um papel
....
por hoje basta

sábado, 2 de maio de 2015

sexta-feira, 1 de maio de 2015

a resposta, meu amigo, está soprando no vento
a resposta está soprando no vento... 

então queres ser um escritor

se não sai de ti a explodir
apesar de tudo
não o faças.
a menos que saia sem perguntar
do teu coração,
da tua cabeça, da tua boca
das tuas entranhas,
não o faças.
se tens que estar horas sentado
a olhar para um ecrã no computador
ou curvado sobre a tua
maquina de escrever
procurando as palavras,
não o faças.
se o fazes por dinheiro ou fama,
não o faças.
se o fazes para ter mulheres na sua cama,
não o faças.
se tens que te sentar e reescrever uma e oura vez,
não o faças.
se dá trabalho só pensar em fazê-lo,
não o faças
se tentas escrever como outros escreveram,
não o faças.
(...)
Bukowski