domingo, 30 de novembro de 2008

" A absoluta simplicidade e o despojamento da vida que o homem levava nos tempos primitivos tinham pelo menos a vantagem de deixá-lo ser hóspede da natureza. Quando se sentia retemperado pelo alimento ou pelo sono, tinha a estrada novamente diante de si. Morava neste mundo como se fosse numa tenda e estava sempre palmilhando vales, cruzando planícies, galgando cumes de montanhas. Mas vejam só! Os homens se transformaram nos instrumentos dos instrumentos. Aquele que na maior liberdade apanhava os frutos nas árvores quandos sentia fome, tornou-se agricultor; o que se deixava ficar debaixo de uma árvore por abrigo, virou caseiro. Não mais acampamos por uma noite, mas nos instalamos na terra esquecidos do céu".
Thoreau- Walden ou a vida nos bosques
O que você faz em uma noite de domingo? Fica em frente a TV assistindo aquilo que todo mundo vê? Ou dá um tempo pra si mesmo? Um tempo pra pensar, pra não pensar em nada... pra calar... pra ouvir música... pra escrever o que te vem à mente... pra não escrever nada... pra imaginar coisas... planejar... sonhar... rever seus passos... ter esperanças... ou perdê-las... mas ter um tempo pra isso... pra ser você mesmo... você com seus sentimentos... sem outras vozes pra te desviar de quem você é... sem condenações, julgamentos, culpas, sem meias verdades... apenas você...com você mesmo... seus segredos e suas vontades... Um jazz... um vinho... só pra você... você e o seu silêncio, te dizendo aquilo que você precisa ouvir!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

"...como alguém que se mantém à tona num naufrágio por subir no topo de um mastro que já se desmorona. Mas dali ele tem uma oportunidade de fazer sinais que levem à sua salvação." Walter Benjamin numa carta a Gerhard Scholem datada de 17 de abril de 1931.

Esconder

O olhar impávido esconde a raiva
O sorriso solto esconde um nó na garganta
O andar confiante esconde um tremor nas pernas
A conversa sem grande profundidade esconde o que vai na alma
A teimosia esconde a vontade de fazer
A mentira esconde a verdade
O medo esconde a paixão

Fuma-se um cigarro e esconde-se o tempo


Banda Sonora
Bullet with butterfly wings, Smashing Pumpkins
"A pessoa que não consegue enfrentar a vida - sempre precisa, enquanto viva, de uma mão para afastar um pouco de seu desespero pelo seu destino... mas com a sua outra mão ela pode anotar o que vê entre as ruínas, pois vê mais coisas, e diferentes, do que as outras; afinal está morto durante sua vida e é o verdadeiro sobrevivente."



Franz Kafka. Diários. Apontamentos de 19 de outubro de 1921.
"O que quer que eu pense deve se manter em comunicação constante com tudo aquilo que já foi pensado". Hanna Arendt. Homens em Tempos Sombrios.

"Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém.
Provavelmente a minha própria vida"
(Clarice Lispector)

....


Nestes dias
tive uma vontade danada
de andar de bicicleta,
comprei uma.
Meu problema agora
é encontrar as ruas da minha infância.

Leonor Cordeiro

....

"Estamos todos deitados na sarjeta,
mas alguns estão olhando para as estrelas."

Oscar Wilde

"A questão é: quanta realidade se deve reter mesmo num mundo que se tornou inumano, se não quisermos que a humanidade se reduza a uma palavra vazia ou a um fantasma? Ou, para colocá-la de outra forma, em que medida ainda temos alguma obrigação para com o mundo, mesmo quando fomos expulsos ou nos retiramos dele?" Hanna Arendt. Homens em Tempos Sombrios.
"A história conhece muitos períodos de tempos sombrios, em que o âmbito público se obscureceu e o mundo se tornou tão dúbio que as pessoas deixaram de pedir qualquer coisa à política além de que mostre a devida consideração pelos seus interesses vitais e liberdade pessoal"

(Hannah Arendt no livro Homens em Tempos Sombrios)