quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

silêncio, passos, pensamentos... caminhos, sonhos e verdades... mais que tudo, eu me quero de volta... quero olhar nos meus olhos...e me ver!
"Nenhuma luta haverá jamais de me embrutecer, nenhum cotidiano será tão pesado a ponto de me esmagar, nenhuma carga me fará baixar a cabeça. Quero ser diferente, eu sou, e se não for, me farei."

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

....Quanto mais desejo, um beijo, um beijo seu
Muito mais eu sinto gosto em viver....

Djavan
ouvindo as suas músicas... talvez você não saiba... também não sei...elas me ajudam a sentir... a pensar... a escrever...

Frida

... a gente somente passa a amar quando os sonhos improvisam e mudam os planos...
alguns passos... um abraço... um cheiro... uma vontade... você passa e olha... fica... não entendo... procuro... fico buscando... remexendo lembranças esparsas...
sabe quando tudo parece estar no lugar certo... na hora certa... a música certa... a luz... ou a falta dela.... faça alguma coisa disso tudo.... leia meus pensamentos.... aqui estou eu... tentando decifrar aquele seu olhar....
...queria poder entender...esse seu olhar... respirar mais fundo... é muito confuso, um tanto disso tudo...
(...) quero mergulhar nesse seu olhar (...)


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

(...) Só de me encontrar no seu olhar
Já muda tudo
Posso respirar você
E posso te enxergar no escuro (...)

Seu Jorge - Seu Olhar

domingo, 12 de dezembro de 2010

"Todo dia a insônia
Me convence que o céu
Faz tudo ficar infinito
E que a solidão
É pretensão de quem fica
Escondido, fazendo fita."

Pro dia nascer feliz (Cazuza)

sábado, 11 de dezembro de 2010

...

É um mistério para mim
Nós temos uma ambição que concordamos.
E você pensa que você tem que querer mais do que precisa.
Até você ter tudo, você não estará livre.

Sociedade, sua raça louca.
Espero que não esteja solitária sem mim.

Quando você quer mais do que tem
Você pensa que precisa.
E quando você pensa mais do que você quer
Seus pensamentos começam a sangrar.
Acho que preciso encontrar um lugar maior
Pois quando você tem mais do que imagina,
Você precisa de mais espaço.

Sociedade, sua raça louca.
Espero que não esteja solitária sem mim.
Sociedade, realmente louca
Espero que não esteja solitária sem mim.

Tem aqueles achando, mais ou menos, que menos é mais
Mas se menos é mais, como você mantém um placar?
Quer dizer que pra cada ponto que faz, seu nível cai
É como começar do topo
Você não pode fazer isso.

Sociedade, sua raça louca.
Espero que não esteja solitária sem mim.
Sociedade, realmente louca
Espero que não esteja solitária sem mim.

Sociedade, tenha piedade de mim
Espero que não fique brava se eu discordar
Sociedade, realmente louca
Espero que não esteja solitária sem mim

Tradução de:
Society
Eddie Vedder
Composição: Jerry Hannan
precisaria me lembrar... você tocava os meus pés... e eu tocava as nuvens...
onde você estava? o que você faria? eu fico aqui pensando em coisas tão absurdas e tão loucas... que talvez eu até diria... se fosse somente pra você...
se você pudesse ler meus pensamentos agora... você ficaria louco...
é verdade.... eu não parei pra observar as cores, nem os aromas, nem as vozes... talvez as vozes eu estivesse ouvindo... ou não.... não sei... mas meus pensamentos e sentimentos já não estavam mais ali... talvez por um momento... quando...
água... rosas... leite... aromas, sons e toques...
são coisas que preferia não pensar... mas tudo isso é muito mais forte do que eu... é quando tudo para... quando tenho tempo pra mim... é você... é você que não sai do meu pensamento... é você que está em tudo que não faz parte do meu mundo real...
... há palavras que não precisam ser ditas.... há coisas que precisam ficar no esquecimento.....

acho que estou com fome... que tal um bom macarrão com manjericão???

escrever...
segredos... o telefone toca... será que devo me preocupar? são apenas palavras... fora do tempo e do espaço... e uma musica, mas não é qualquer musica... como devo me sentir? o que faz você lembrar? refresque a minha memória... fiz um molho, vermelho... o aroma do manjericão... o vinho... são 23h06...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Música

Nosso sonho
Se perdeu no fio da vida
E eu vou embora
Sem mais feridas
Sem despedidas
Eu quero ver o mar
Eu quero ver o mar
Eu quero ver o mar
Eu quero ver o mar

Se voltar desejos
Ou se eles foram mesmo
Lembre da nossa música
Música
Se lembrar dos tempos
Dos nossos momentos
Lembre da nossa música
Música

Nossas juras de amor
Já desbotadas
Nossos beijos de outrora
Foram guardados
Nosso mais belo plano
Desperdiçado
Nossa graça e vontade
Derretem na chuva

Se voltar desejos
Ou se eles foram mesmo
Lembre da nossa música
Música
Se lembrar dos tempos
Dos nossos momentos
Lembre da nossa música
Música

Um costume de nós
Fica agarrado
As lembranças, os cheiros.
Dilacerados
Nossa bela história
Tá no passado
O amor que me tinhas
Era pouco e se acabou

Se voltar desejos
Ou se eles foram mesmo
Lembre da nossa música
Música
Se lembrar dos tempos
Dos nossos momentos
Lembre da nossa música
Música

Vanessa da Mata
Ando tão desorientado, já faz tempo. E me escondo, e não procuro ninguém, e fico mastigando a minha desorientação.

CAIO FERNANDO ABREU

Brilho eterno de uma mente sem lembranças...

(...) Porque às vezes, você queria se chamar Clementine, ter o cabelo azul e apagar um pedaço da sua memória. Deletar o que não se deve nem se pode lembrar. Assim: pra sempre ...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Esquecimento

Esse de quem eu era e era meu,
Que foi um sonho e foi realidade,
Que me vestiu a alma de saudade,
Para sempre de mim desapareceu.

Tudo em redor então escureceu,
E foi longínqua toda a claridade!
Ceguei... tateio sombras... que ansiedade!
Apalpo cinzas porque tudo ardeu!

Descem em mim poentes de Novembro...
A sombra dos meus olhos, a escurecer...
Veste de roxo e negro os crisântemos...

E desse que era eu meu já me não lembro...
Ah! a doce agonia de esquecer
A lembrar doidamente o que esquecemos...!

Florbela Espanca

Eu quero uma licença de dormir,
perdão pra descansar horas a fio,
sem ao menos sonhar
a leve palha de um pequeno sonho.
Quero o que antes da vida
foi o sono profundo das espécies,
a graça de um estado.
Semente.
Muito mais que raízes. (Exausto)

Adélia Prado

Um trem-de-ferro é uma coisa mecânica,
mas atravessa a noite, a madrugada, o dia,
atravessou minha vida,
virou só sentimento.

Adélia Prado

Simone de Beauvoir, Jean Paul Sartre e Ernesto Che Guevara

Aleida e Che