terça-feira, 31 de agosto de 2010


O que é ser sul americano? Quantas vezes já paramos para pensar nisso? Vi hoje o documentário Pachamama que levanta essas e outras questões. Multidão anônima. Terra, pobreza, fome, riquezas culturais, línguas, nações, caminhantes, solidão, estrada, palavras, discursos, explicações, pensamentos e posições. Realidades sociais complexas, exploração, saudades, mãe-terra, rostos que se misturam, se confundem, vozes que procuram existir...

Pachamama, de Eryk Rocha (Brasil, 2008)
Curiosidades: Eryk é filho do cineasta baiano Glauber Rocha e da artista plástica colombiana Paula Gaitán. Nascido em Brasília, durante as filmagens de A Idade da Terra.
"Minha garganta pede um pouco d'água
E os meus olhos pedem teu olhar"

Gilberto Gil (Tenho sede)
Algo vai assim acontecendo... de mim pra mim mesma... são meus olhos, meus sentidos, meus caminhos... não sei dizer, explicar... não deixo a vida me levar... eu tomo a vida, a minha vida nas minhas mãos... sonho... tudo começa pelo sonho, se deixarmos de sonhar o que vivermos terá pouco ou nenhum sentido... a terra, o pó, a chuva, a estrada, o pão, a vida. Me deixo, me permito, um sabor, uma vontade. " A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem." João Guimarães Rosa.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pensamentos soltos...

Aula de cinema. Tarde de terça-feira. Imagens e conversas da Sicília. O pão quente, azeite, orégano, sal. As boas lembranças do já vivido... Imagens e paisagens. Alguém entra na sala. O que faz ali? Senta ao meu lado. - "Posso assisir com você?" Ele pergunta. Pergunta também sobre o que se trata. (o filme... a fala da professora...) Eu respondo. Ele assiste, ouve e diz: - "muito confuso tudo isso. O que você acha?" - Eu dou apenas um sorriso. Ele fala alto, está com um copo de bebida na mão direita. É convidado a se retirar da sala. Olha pra mim e diz: - "vou embora, me expulsaram. Mas olha, isso tá muito chato. Pelo pouco que vi eu diria pra você cair fora, não vale a pena!" - Bom... ele não entendeu nada mesmo... Termina a aula. Saio da sala... o sol está forte. Tomo uma coca-cola gelada (não é propaganda). Penso em uma outra conversa que tivera antes da aula. Um sorriso, uma saudade... uma vontade... apenas pensamentos soltos...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Pardon my lips. They find joy in the most unusual places.

(Frase do filme "Um Bom Ano")

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

As Melhores Músicas do Chico (Para mim...)

1. Pedaço de Mim
2. O Meu Amor
3. Gota D'Água
4. Futuros Amantes
5. Mulheres de Atenas
6. Roda Viva
7. Até o Fim
8. Construção
9. Fado Tropical
10. Minha História

Filmes Biográficos

1. Frida
2. Amadeus
3. Olga
4. Che
5. Jango
6. A Rainha Margot
7. Ray
8. Cazuza - O Tempo Não Para
9. A Duquesa
10. Diários de Motocicleta

O Cinema e a Infância

1. Kiriku e a Feiticeira
2. O Jardim Secreto
3. A Glória de Meu Pai
4. Onde Vivem os Monstros
5. O Menino Maluquinho
6. A Viagem de Chihiro
7. Goonies
8. UP - Altas Aventuras
9. O Castelo Animado
10. Três Vezes Amor

Cinema e História

1. Guerra e Paz
2. A Queda
3. Elizabeth
4. A Missão
5. A Letra Escarlate
6. Maria Antonieta
7. Amistad
8. Passagem para a Índia
9. A Massai Branca
10. A Batalha de Argel

O Cinema e o Amor

1. Orgulho e Preconceito
2. Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças
3. Antes do Amanhecer
4. Lendas da Paixão
5. O Filho da Noiva
6. Chocolate
7. O Paciente Inglês
8. Desejo e Reparação
9. Casamento Grego
10. Tudo Acontece em Elizabethtown

Cinema e Educação

1. Elefante
2. Olhos Azuis
3. Nenhum a Menos
4. Pro Dia Nascer Feliz
5. A Onda
6. Machuca
7. Ser e Ter
8. O Clube do Imperador
9. Escola da Vida
10. Escritores da Liberdade

Cinema Libertário

1. Terra e Liberdade
2. Os Libertários
3. Germinal
4. A Língua das Mariposas
5. Sacco e Vanzetti
6. Libertárias
7. O Sonho não acabou
8. Anarquistas, Graças a Deus!
9. Francisco Ferrer y Guardia, uma vida pela liberdade
10. The Anarchist

Filmes para pensar

1. O Labirinto do Fauno
2. O Sétimo Selo
3. As Invasões Bárbaras
4. O Declínio do Império Americano
5. Tempos Modernos
6. Laranja Mecânica
7. Um Sonho de Liberdade
8. A Cor Púrpura
9. O Carteiro e o Poeta
10. A Outra História Americana

Filmes para relaxar

1. Um Bom Ano
2. As Pontes de Madison
3. Em Busca da Terra do Nunca
4. Janela Secreta
5. A Liberdade é Azul
6. A Igualdade é Branca
7. A Fraternidade é Vermelha
8. Sem Reservas
9. Simplesmente Martha
10. Ratatouille

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

"Porque ver é permitido, mas sentir já é perigoso.(...)". Caio F Abreu
" Somos inocentes em pensar, que sentimentos são coisas passíveis de serem controladas. Eles simplesmente vêm e vão, não batem na porta, não pedem licença. Invadem, machucam, alegram (...) " Caio F Abreu
"Se hoje o sol sair, eu te prometo o céu"

Caio F Abreu
"A saudade é o pior tormento, é pior do que o esquecimento, é pior do que se entrevar..."

Chico

Trechos de "O meu amor", Chico Buarque

"(...)Tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos
Viola os meus ouvidos
Com tantos segredos
Lindos e indecentes
Depois brinca comigo
Ri do meu umbigo
E me crava os dentes (...)
(...)
"Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz"
(...)
"De me deixar maluca
Quando me roça a nuca
E quase me machuca
Com a barba mal feita
E de posar as coxas
Entre as minhas coxas
Quando ele se deita"
(...)
"De me fazer rodeios
De me beijar os seios
Me beijar o ventre
Me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo
Como se meu corpo
Fosse a sua casa"

(...)

"Tarde linda e seca"

"E, no final, tanta coisa acaba não tendo importância."

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Baudelaire

Elle est retrouvée.
Quoi? – L’Eternité.
C’est la mer allée
Avec le soleil. (...)

Charles Baudelaire

Quand le ciel bas et lourd pèse comme un couvercle
Sur ‘esprit gémissant en proie aux longs ennuis,
Et que de l’horizon embrassant tout le cercle
Il nous verse un jour noir plus triste que les nuits;

Quand la terre est changée en un cachot humide,
Où l’Espérance, comme une chauve-souris,
S’en va battant les murs de son aile timide
Et se cognant la tête à des plafonds pourris;

Quand la pluie étalant ses immenses traînées
D’une vaste prison imite les barreaux,
Et qu’un peuple muet d’infâmes araignées
Vient tendre ses filets au fond de nos cerveaux,

Des cloches tout à coup sautent avec furie
Et lancent vers le ciel un affreux hurlement,
Ainsi que des esprits errants et sans patrie
Qui se mettent à geindre opiniâtrement.

- Et de longs corbillards, sans tambours ni musique,
Défilent lentement dans mon âme ; l’Espoir,
Vaincu, pleure, et l’Angoisse atroce, despotique,
Sur mon crâne incliné plante son drapeau noir.

Valéria


Pro dia nascer feliz

Pro dia nascer feliz é um filme sobre educação, educação no Brasil. O filme foi feito entre 2004 e 2005 e lançado em 2006. A direção é de João Jardim. Em forma de documentário, dando voz à alunos, professores e diretores, o filme passeia por escolas em diferentes estados brasileiros: Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Entre as escolas públicas e de periferia, uma escola particular, uma realidade muito diferente das demais abordadas no filme. O que acontece com nossas escolas? No filme vemos professores, alunos e diretores perdidos, vivendo conflitos pessoais e coletivos, procurando, ou não, uma saída. O abismo entre a escola pública e a particular salta aos olhos. A aluna Valéria, de Pernambuco, que tinha que viajar mais de 30 km para chegar à escola (sendo que, mais de duas vezes por semana, o ônibus que a levava quebrava) e cursar o ensino médio nos dá uma lição de vida. Em trecho de texto de Valéria publicado no site do Museu da Pessoa percebemos o quanto ela tem consciência das desigualdades presentes em nosso país:

"Minha vida tomou um outro rumo depois da participação neste filme, vejo como as pessoas ficam tomadas pela perplexidade quando o assistem, a angústia torna-se algo gritante. Enquanto crianças e jovens continuam sem a educação, nossos representantes permanecem em seus castelos, cumprindo apenas as etiquetas da corte. Hoje tenho 19 anos e estou morando em Recife, trabalho num centro de ensino experimental, numa biblioteca e num espaço de mídia e educação.

O que me deixa mais feliz é saber que graças ao filme a escola de Manari foi reconstruída. Sei que ainda há muito o que se fazer para mudar esse quadro educacional do país, sei também que a luta não vai ser fácil, mas estou disposta a tirar a educação desse casulo e fazer que ela chegue a todo o povo. Às vezes me bate uma saudade do sertão, um desejo de sair pelas ruas e cumprimentar as pessoas, de voltar à escola, rever minha família, meus amigos e professores. Mas lembro-me que é também por eles que estou aqui."

No filme de João Jardim, Valéria diz que seus colegas a acham diferente porque gosta de ler. No inesquecível final, declama um poema feito à maneira da Canção do Exílio de Gonçalves Dias. Ouça o poema composto e declamado por Valéria: http://www.museudapessoa.net/historias/historias_ontemehoje_07_07_08.shtml.

Gente da Sicília

Gente da Sicília - Direção de Danièle Huillet e Jean-Marie Straub, 1998. França/Itália/Suécia. Adaptação do romance de Elio Vittorini, Conversas na Sicília. O mais importante no filme, não é a frase, a imagem ou a palavra, mas a própria voz, o ato da conversação. O personagem principal, Silvestro, está voltando à Sicília, reencontra a mãe, redescobre-se siciliano. As conversas giram em torno de memórias, da comida, dos frutos da terra, do pai, do socialismo, do cheiro... são simplesmente conversas, com longas pausas, pausas que convidam à reflexão... não é cinema de entretenimento, é poesia, é a experiência da liberdade, é a voz declamada. "O mundo é lindo". Memória, fantasia, luz, sombra, frio, calor, azeite, queijo, figos bravos, tomates secos ao sol, pão, vinho, calor... Conflito, origem, retorno, fé, "progresso e civilização", raízes, identidade!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010



Congresso Anarquista Em Nossa Chácara. Da Esquerda Para A Direita - Manuel Dos Santos Ramos, Germinal Bottino, Edgar Rodrigues e Ideal Peres.

http://franciscotrindade.blogspot.com/2009/05/em-forma-de-despedida-sintese-sobre.html


Vila Maria Zélia - Grupo XIX de Teatro dá vida ao espaço público abandonado
http://yahoo.guiadasemana.com.br/yahoo/noticias.asp?ID=9&cd_news=37435&cd_city=1



Interior de uma escola - Vila Maria Zélia
Créditos da imagem: http://www.fotolog.com.br/suelitonlima/63878413

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Necrológio dos Desiludidos do Amor

Os desiludidos do amor
estão desfechando tiros no peito.
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh quanta matéria para os jornais.

Desiludidos mas fotografados,
escreveram cartas explicativas,
tomaram todas as providências
para o remorso das amadas.

Pum pum pum adeus, enjoada.
Eu vou, tu ficas, mas nos veremos
seja no claro céu ou turvo inferno.

Os médicos estão fazendo a autópsia
dos desiludidos que se mataram.
Que grandes corações eles possuíam.
Vísceras imensas, tripas sentimentais
e um estômago cheio de poesia...

Agora vamos para o cemitério
levar os corpos dos desiludidos
encaixotados competentemente
(paixões de primeira e de segunda classe).

Os desiludidos seguem iludidos,
sem coração, sem tripas, sem amor.
Única fortuna, os seus dentes de ouro
não servirão de lastro financeiro
e cobertos de terra perderão o brilho
enquanto as amadas dançarão um samba
bravo, violento, sobre a tumba deles.

Carlos Drummond de Andrade, in 'Brejo das Almas'
"Se não houver rebelião, não haverá sobrevivência".
José Oiticica