terça-feira, 13 de janeiro de 2015

e eis que...

olhar a paisagem pela janela
ouvir música
pensar naquela pessoa com quem você se identifica
um cúmplice
dos seus filmes
das suas músicas
dos seus livros
dos seus desejos
inquietação
querer mais
sempre mais
do mundo
das pessoas
de mim mesma

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

tudo é autobiográfico
somos tudo que já vivemos
o que é conhecer alguém de verdade
ter aquela ligação
capturar isso

algumas palavras verdadeiras
outras soltas
palavras que brincam
vão e vem

e todo cuidado é pouco
alguém pode se machucar
difícil dizer alguma coisa
qualquer coisa...

...
pra que mentir, fingir que perdoou
ficar amigos sem rancor...
a emoção acabou...
a nossa música nunca mais tocou...
pra que usar de tanta educação...
pra destilar terceiras intenções...
entre os meus inimigos beija-flor
eu protegi seu nome por amor...
não responda nunca meu amor...

prendia o choro e aguava o bom do amor!

(palavras perdidas na madrugada com Cazuza)
o que eu disse
o que você disse
afinal...

"aquelas bobagens que você escreve..."
sempre você
por perto
mesmo longe
não canso de te desejar
desejo
desejo vontade
necessidade
invade
e fim
meu bem querer
é segredo, é sagrado
está sacramentado em meu coração

meu bem querer
tem um quê de pecado
acariciado pela emoção

(...)

Djvan

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

viajar é sempre bom, pois além de oferecer dias de descanso despreocupado reforça em nós o que gostamos e não gostamos, pois estamos fora do conforto e dos hábitos cotidianos.
eu definitivamente prefiro o inverno, a montanha, o café, as caminhadas em locais históricos, museus, trilhas ecológicas do que praia, sol, areia e calor dos infernos...
um dia vai... dois... no máximo três... depois de virar um pimentão, dormir mal e perder a fome fico sonhando acordada com as montanhas, o café e o pão de queijo mineiro...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

estou na fase de ler biografias
Trotkky, Frida, Goya, George Hassison...
e quanto mais leio mais me interesso por boas biografias

o que não pode ser dito
afinal...
um pouco de você...
nas palavras ditas e não ditas
no que se espera pra esse ano que se inicia
no que se lembra do ano que passou
e na saudade e no desejo que permanecem...