quarta-feira, 31 de outubro de 2012

geralmente não gosto do que todo mundo lê, do que todo mundo ouve, do que todo mundo vê...
estranha no ninho...
ou melhor, fora dele!
um sonho que incomoda
porque você achava que não sentia nada
e nem que é observada
mas algo fica martelando
como se quisesse acontecer...
Vou te dar um conselho:
Nunca afague um cão bravo.

Frase do filme Um Bom Ano

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

eu lembro daquela noite melhor do que anos inteiros...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

domingo, 23 de setembro de 2012

um pouco de silêncio
de escuro
da lembrança do seu cheiro

"  Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos, e preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e a amo ardentemente."
Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice) de Jane Austen,  Mr. Darcy se declara à Elizabeth.

Cenas do filme "Orgulho e Preconceito" (Here Without You)

o barulho da chuva
um rosto
uma lembrança
uma saudade

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

... o impossível é bem mais interessante...

domingo, 19 de agosto de 2012


(...) Se eu cantar não chore não
É só poesia      
Eu só preciso ter você       
Por mais um dia
Ainda gosto de dançar
Bom dia
Como vai você? 
Você vem?
Será que é tarde demais? (...)

Lô Borges e Márcio Borges

Nada te turbe
Nada te espante
Dios no muda
Todo se pasa
La paciencia
Todo lo alcanza
Quien a Dios tiene
Nada le falta
Solo Dios basta
SANTA TERESA D'ÁVILA

Goya

                                                             
                                                   O sonho da razão produz monstros - Goya

domingo, 12 de agosto de 2012

segunda-feira, 30 de julho de 2012

ai ai....

responder a isso tiraria toda a graça da coisa....
palavras
certas
na hora certa
e tudo se encaixa....

domingo, 15 de julho de 2012

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Magdalena Carmen Frieda Kahlo y Calderón, Coyoacán, 6 de julho de 1907


e você... sempre vai ser um perigo pra mim... há momentos que sua presença é tão forte que te devoro em forma de lembrança... e de saudade...    


um recomeço. coração aberto, mas esperto. 

quarta-feira, 4 de julho de 2012

ANTES DEL COMIENZO

Ruidos confusos, claridad incierta.
Otro día comienza.
Es un cuarto en penumbra
y dos cuerpos tendidos.
En mi frente me pierdo
por un llano sin nadie.
Ya las horas afilan sus navajas.
Pero a mi lado tú respiras;
entrañable y remota
fluyes y no te mueves.
Inaccesible si te pienso,
con los ojos te palpo,
te miro con las manos.
Los sueños nos separan
y la sangre nos junta:
somos un río de latidos.
Bajo tus párpados madura
la semilla del sol.
El mundo
no es real todavía,
el tiempo duda:
solo es cierto
el calor de tu piel.
En tu respiración escucho
la marea del ser,
la sílaba olvidada del Comienzo.

Octavio Paz

Gertrude Stein (de cabelo preso à direita) e sua companheira Alice Toklas na casa de Paris em 1923


“Se você tiver a sorte de ter vivido em Paris quando jovem, não importa por onde ande pelo resto de sua vida, leva isso junto, porque Paris é uma festa ambulante”, escreveu Hemingway em Paris é uma festa, seu livro de memórias publicado postumamente, em 1964.

sábado, 16 de junho de 2012

"O que foi feito amigo, de tudo o que a gente sonhou??? O que foi feito da vida, o que foi feito do amor???"

domingo, 10 de junho de 2012

vontade de comer um tiramisu.... a essa hora da noite...

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Deixe-me cantar uma valsa para você
Vinda de lugar nenhum, vinda dos meus pensamentos
Deixe-me cantar uma valsa para você
Sobre essa única noite
Você foi para mim, aquela noite
Tudo aquilo que eu sonhei na vida
Mas agora você se foi
Você se foi para longe
Em sua ilha de chuva
Foi para você apenas uma coisa de uma noite
Mas você foi muito mais pra mim
Apenas para você saber
Eu não ligo para o que eles dizem
Eu sei o que você significou para mim aquele dia
Eu apenas queria uma outra chance
Eu apenas queria outra noite
Mesmo que isso não pareça nada correto
Você significou pra mim muito mais
Do que qualquer outro que eu encontrei antes
Apenas uma única noite com você...
Pequeno Jesse...
Vale mais do que milhares com outro qualquer
Eu não tenho amargura, meu querido
Eu nunca vou esquecer essa coisa de uma noite
Mesmo amanhã em outros braços
Meu coração será seu até eu morrer
Deixe-me cantar uma valsa para você
Saída de lugar nenhum, saída de minhas tristezas
Deixe-me cantar uma valsa para você
Sobre esse lindo amor de uma noite só

Música cantada por Julie Delpy, no filme Before Sunset (Antes do pôr-do-sol - 2004).

A Waltz for a Night - Julie Delpy

terça-feira, 15 de maio de 2012

uma Verdade que alimenta
que sustenta o corpo e a alma
Verdade que não se teme
nem se esconde
Deus, eu te amo!!! 

domingo, 22 de abril de 2012

isso não é um diário
nem realidade
são apenas palavras
sem nenhuma pretensão
apenas palavras...
podem ser tentativas
tentativas de escrever poesia
e poesia não é realidade
como dizia Drummond:
"Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia."



quarta-feira, 18 de abril de 2012

eu queria estar agora
nos seus braços
sem perguntas ou respostas
agora... e nada mais...

deixe-me cantar uma valsa para você...


perto e ainda assim distante
pode ser
que assim ainda possa... 
um se tornou um estranho
o outro um distante
que quer estar perto
mas não sei ao certo
o quanto isso pode ser bom

sábado, 7 de abril de 2012

"Minha motivação foi esta: tentar resolver, através de versos, problemas existenciais internos. São problemas de angústia,  incompreensão e inadaptação ao mundo”, disse Drummond ao jornalista Geneton Moraes Neto, em sua última entrevista, publicada cinco dias após sua morte, no caderno Idéias, do Jornal do Brasil, em 22 de agosto de 1987. 
(...)
Pois de tudo fica um pouco
Fica um pouco do teu queixo
no queixo de tua filha.
De teu áspero silêncio
um pouco ficou, um pouco
nos muros zangados
nas folhas, mudas, que sobem.
(...)

Carlos Drummond de Andrade

o que você quer saber?
o porque do meu silêncio?...
talvez...
você acena, eu penso em chegar perto
mas não posso
não ainda
eu queria olhar em seus olhos
sei que acabaria cedendo
por isso tenho medo...
por isso ouço sua voz
apenas a sua voz...
não é o bastante
também tenho vontade
desejo
saudade
mas entenda...
quem sabe um dia...

terça-feira, 20 de março de 2012

eu quero as coisas simples da vida
cheiro de mato e cheiro de pão
quero caminhar descalça
ouvir os pássaros.... ver os pássaros....
fazer bolo de fubá
e café fresquinho
quero livros pela casa
uma rede pra deitar
o carinho de quem se ama
e tempo pra curtir e aproveitar...

sexta-feira, 2 de março de 2012



há certas coisas que eu não sei dizer...
melhor nem tentar entender...
o que essa vontade faz aqui agora assim tão forte...
esperando por você
e ao mesmo tempo, tentando te evitar...
estou até vendo...
que não vou conseguir...

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Saudades de mim... há coisas que preciso fazer por mim mesma....

A chuva já passou por aqui, eu mesma que cuidei de secar...


ouvir sua voz depois de tanto tempo e saber que você ainda pensa.... ainda pensa....

Um costume de nós
Fica agarrado
As lembranças, os cheiros.
Dilacerados (...)


Vanessa da Mata

Nosso sonho se perdeu no fio da vida...


A Invenção de Hugo Cabret

Uma homenagem ao cinema... e aos livros.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Certeza


Si es real la luz blanca
de esta lámpara, real
la mano que escribe, ¿son reales
los ojos que miran lo escrito?

De una palabra a la otra
lo que digo se desvanece.
Yo sé que estoy vivo
entre dos paréntesis.

Octavio Paz

sábado, 28 de janeiro de 2012

cansada de muitas coisas... preferindo o silêncio... fugindo de palavras vazias e ressentimentos... fugindo de carências e hipocrisias... ouço... sinto... fecho os olhos... espero... não me precipito... me calo... porque não há nada há ser dito... não pra você!   

sentimentos difíceis.... complicados... há coisas que precisam ser deixadas no silêncio... como se não pudessem ser tocadas... nem sentidas... feche os olhos... ouça a música que eleva a sua alma... que te acolhe e silencia seu coração....   


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Tristesse


Como você pode pedir
Prá que eu fale
Do nosso amor
Que foi tão forte
E ainda é
Mas cada um se foi...
Quanta saudade
Brilha em mim
Se cada sonho é seu
Virou história em sua vida
Mas prá mim não morreu...
Lembra, lembra, lembra
Cada instante que passou
De cada perigo
Da audácia do temor
Que sobrevivemos
Que cobrimos de emoção
Volta a pensar então...
Sinto, penso, espero
Fico tenso toda vez
Que nos encontramos
Nos olhamos sem viver
Pára de fingir
Que não sou parte
Do seu mundo
Volta a pensar então...
Como você pode pedir!
Beto Guedes

vale a pena??? a alma é pequena... então nem vou tentar....
e... só se luta por aquilo que se quer... e muito... e só desiste quando você é mais forte do que tudo.... 
não se destrói coisas assim...  
... e foi justamente aí que tudo se perdeu....


há pessoas que valem a pena... pena que são poucas... 
toda vez que vejo a cena da piscina em A Liberdade á Azul... penso que preciso voltar a nadar....

Eu nunca escrevi sobre o vazio daquela casa... 
O final de Antes do Pôr do Sol é delicioso.... não sei explicar... será a voz de Nina Simone????
Outro filme... agora sim "A Liberdade é Azul"...
O vinho ainda não acabou... a noite é longa... a chuva se foi....
ficou o silêncio...
e o desejo...
será a cena final do filme anterior???
Me diga.... 

Uma Valsa Por Uma Noite


Deixe-me cantar uma valsa para você/ Vinda de lugar algum, vinda dos meus pensamentos
Deixe-me cantar uma valsa para você/ Sobre essa única noite
Você foi para mim naquela noite/ Tudo o que eu sempre sonhei na vida
Mas agora você se foi/ Você se foi para longe/ Direto para sua ilha de chuva
Para você foi só um caso de uma noite/ Mas você foi muito mais para mim/ Só para você saber
Eu ouço rumores sobre você/ Sobre todas as coisas ruins que você faz/ Mas quando estivemos juntos a sós/ Você não pareceu nem um pouco com um jogador/ Eu ouço rumores sobre você
Sobre todas as coisas ruins que você faz/ Mas quando estivemos juntos a sós
Você não pareceu nem um pouco com um jogador/ Eu não tenho amargura, meu querido
Eu nunca vou esquecer esse caso de uma noite/ Mesmo amanhã, em outros braços
Meu coração será seu até eu morrer/ Deixe-me cantar uma valsa para você
Vinda de lugar algum, vinda das minhas tristezas/ Deixe-me cantar uma valsa para você
Sobre essa adorável única noite

A Waltz For a Night (tradução da canção do filme Antes do Pôr  do Sol) 

.. querer as coisas é bom. é só não se aborrecer quando não as têm...
... é bom sentir que nossos desejos se renovam...

Meu outono em Portugal


onde está você agora? (...)

... é bom saber que a gente faz parte das lembranças de alguém...
... todo mundo quer acreditar no amor....  
está chovendo... acendi um incenso... abri um vinho... fiz um minestrone... e coloquei um filme: Antes do Pôr do Sol. fiquei em dúvida, entre a Liberdade e Azul e Antes do Pôr do Sol... os dois são adequados para uma noite de chuva e vinho... estou aqui sorrindo sozinha com as situações expostas no filme... encontros e desencontros... saudades e desejos... decisões... a única coisa que estraga é o calor... 

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Saudades do México

Coyoacan

...

... escribimos palabras sin respuesta....

Octavio Paz

Voa bicho


Andorinha voou, voou
Fez um ninho no meu chapéu
E um buraco bem no meio do céu
E lá vou eu como passarinho
Sem destino nem sensatez
Sem dinheiro nem pra um pastel chinês.
A andorinha voou, voou
Fez um ninho na minha mão
E um buraco bem no meu coração
E lá vou eu como um passarinho
Como um bicho que sai do ninho
Sem vacilo nem dor na minha vez.
A andorinha voa veloz
Voa mais do que minha voz
Andorinha faz a canção
Que eu não fiz
Andorinha voa feliz
Tem mais força que minha mão
Mas sozinha não faz verão.
A andorinha voou, voou
Fez um ninho na minha mão
E um buraco bem no meu coração
E lá vou eu como um passarinho
Como um bicho que sai do ninho
Sem vacilo nem dor na minha vez.
Telo Borges e Marcio Borges na voz de Milton Nascimento

"estamos en las manos del tiempo"

"la historia es el camino"

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012


tem coisa que não dá... não entendo... nem quero entender... não vou forçar... não sinto nada....
não por você!!!!
prefiro a solidão de me ter por inteira do que a companhia de quem me reduz....

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

... tem certas coisas que eu não sei dizer....

sábado, 7 de janeiro de 2012

Tem coisa que eu deixo passar. Não vale a pena. Tem gente que não vale a dor de cabeça. Tem coisa que não vale uma gastrite nervosa. Entende isso? Não vale. Não vale dor alguma, sacrifício nenhum. 


Cazuza
entre estantes e livros, música e silêncio, ruas e avenidas.... a noite se vai.... há muitas coisas que ainda não entendo... há verdades adormecidas... saudades e desejos....e mais uma vez, você estava lá... um pensamento... uma lembrança... e você é quem estava lá... sempre você... e vai continuar sendo você....