segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Quem é você?

Uma sobra do passado...
um presente confuso...
uma lembrança tão viva
que chega a doer...
uma fome
sede
vontade
calor
SAUDADE!

Matita-Perê



Cadê maestro Jobim?
"Não importa a noite, de qualquer maneira nós vamos brincar..." Zeca Baleiro

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Começo a conhecer-me. Não existo.
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
Ou metade desse intervalo, porque também há vida...
Sou isso, enfim...
Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor.
Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo.
É um universo barato.

Alvares de Campos

Blanco - Marisa Monte


Me vejo no que vejo
Como entrar por meus olhos
Em um olho mais límpido
Me olha o que eu olho
É minha criação
Isto que vejo
Perceber é conceber
Águas de pensamentos

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Matita Perê...


"Um tal de Chico chamado Antônio
Num cavalo baio que era um burro velho
Que na barra fria já cruzado o rio
Lá vinha Matias cujo o nome é Pedro
Aliás Horácio, vulgo Simão
Lá um chamado Tião
Chamado João"

(...)

Tom Jobim

Só tinha de ser com você - Tom Jobim

É,
Só eu sei
Quanto amor
Eu guardei
Sem saber
Que era só
Pra você.

É, só tinha de ser com você,
Havia de ser pra você,
Senão era mais uma dor,
Senão não seria o amor,
Aquele que a gente não vê,
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.

É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber
Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.

É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber
Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.
Eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.

domingo, 19 de outubro de 2008



Talvez eu não precise dizer mais nada...


convencer ninguém de coisa alguma...


ou dar significado ao que quer que seja ...


talvez eu precise apenas saber...


que cada um de nós vê... o que ninguém vê....


Idas e vindas

Idas e vindas
de pensamentos
pessoas e momentos
sons e viagens...

eu penso
mas me calo
sinto
e na solidão
me instalo
e aí então sou eu
pensando...sentindo... lembrando... vivendo...
de repente você
tão presente
como sempre
e tudo se encaixa
sei e não sei
ruas e avenidas
noites como aquela
ou vazias como... nunca são vazias... eu ia tentar dizer... mas você tem razão...
você é mais forte que isso tudo que tenta me prender...
você chega e tudo perde o sentido... tudo se desfaz...
tudo se acalma... tudo toma o seu lugar...
noites claras... aconchego... luz... colo... voz... sono....
e você está onde deveria estar...
e seus olhos dizem tudo que ninguém mais pode dizer...
TSC

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Há confusões que é bom evitar
confusões de sentimentos
de pensamentos
de saudades...
Há momentos para se guardar
não para esquecer...
Há amizades a cultivar
para não se transformar em vazios
ou sentimentos sem sentido...
Há caminhos a seguir
para não voltar atrás
para fazer valer
para fazer sentir
para simplesmente viver!
Talvez o amor seja ceder...
olhar de novo pra você
e acreditar!
Talvez o amor seja calar
e apenas sentir,
deixar acontecer
olhar pra frente
olhar nos seus olhos
ver seu sorriso
e esquecer
o que precisa ser esquecido!

domingo, 12 de outubro de 2008

Frases de filmes

Amor e Outros Desastres
"Talvez o amor verdadeiro seja uma decisão. Decisão de correr um risco com alguém... dar-se, sem se preocupar se vão dar algo em troca ou magoar você ou se é a pessoa certa... talvez o amor não seja algo que aconteça, talvez seja uma escolha."

Dizem por Aí
"..é como se estivesse possuída por alguém morta de medo e maluca. ..sei que nos damos bem. você é a única pessoa com quem posso ser eu mesma, mesmo que não saiba quem eu sou."

As canções de amor; Christophe Honoré


Ama-me menos, mas por muito tempo. (Ismael)


quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Não te quero... senão te quero...

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,como um cego.
(...)
Pablo Neruda