sábado, 28 de dezembro de 2013


calor
desejo
um olhar na madrugada
transparência
sentido
ou perda dele
o trágico
o humano
e mais uma vez o desejo...
e somente ele...

domingo, 22 de dezembro de 2013

braços estendidos
meia luz
penso
ou melhor
desejo...
você está em todos os meus desejos
você não seria sútil
não seria gentil
seu desejo seria mais forte
e me calaria até o amanhecer....
há entrelinhas demais entre o meu desejo e o seu??
que impressão eu tenho...
as coisas vão e vem...
já esperava um momento como esse...
se você é um ser sonhador como eu
também está pensando em mim e não consegue evitar....
Isso é que o se chama de silêncio embaraçoso??  


quando a gente sabe que encontrou alguém realmente muito especial....

não detesta isso??

silêncio embaraçoso

falarmos um monte de besteiras

ai pode realmente se calar por um minuto e repartir o silêncio...
Domingo... É noite... você está só....
as pessoas passam pelos corredores
você ouve até algumas vozes
mas não a que você queria ouvir
a garrafa está vazia e o telefone toca
há pessoas e amizades verdadeiras
há outras que vem e que vão...
e há sempre uma boa piada...  
se quer mesmo fazer... faça isso agora! 
nem queira saber....
deixa ver se adivinho...
se importa se eu provar o seu?

a cena vista através da taça de vinho
vinho branco
filme bom...

sábado, 21 de dezembro de 2013

El Secreto de Sus Ojos




A poesia me pega com sua roda dentada,
me força a escutar imóvel
o seu discurso esdrúxulo.
Me abraça detrás do muro, levanta
a saia pra eu ver, amorosa e doida. (...)

Adélia Prado

Bob Dylan
uma música na madrugada
imagens nas paredes
palavras...
olhares que tentam dizer algo...
fecho os olhos
eu não sei...

domingo, 8 de dezembro de 2013

pequenos gestos
e palavras
seu olhar...
muito confuso isso
procuro desviar o olhar
mas não sei aonde isso vai nos levar
por onde eu caminho
você me percebe...

Florbela

“O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!” (trecho de carta a Guido Battelli) Esse texto é da Florbela Espanca, poetisa portuguesa que nasceu, casou e morreu num 8 de dezembro. 


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Chuva
Calor
Tempo pra ver um bom filme
Descansar a mente e o espírito
Respirar fundo e recomeçar... 
folhas em branco
o passado
a luz na janela
madrugada
volto a escrever
sim, eu me lembro
de todas as manhãs
e do seu sorriso
mas isso já não significa mais nada

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

ausência
falta de tempo
tempo corre pra outro lugar
tempo gira entre noites frias e noites quentes
instáveis
como meu humor
e meus olhares pra você

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

filmes para ver de madrugada, de preferência com uma garrafa de vinho do lado...

O segredo dos seus olhos
O vento nos levará
O Buraco (não é o mais conhecido, de terror e sim http://www.dvdbeaver.com/film/articles/thehole.htm)
2046 Segredos do amor



sábado, 10 de agosto de 2013

- Lembrei-me de você outro dia.
- É mesmo?
- Meu chefe recebeu outro disco do Cole Porter
- E isso a fez se lembrar de mimGosto de ser lembrado assim...
- Estava indo para a sua casa agora?
- Sim
-  Posso acompanhá-la ou convida-la para um caféEstá começando a chover...
- Tudo bem, não me importo de me molhar...
- Tem certeza?
- Sim
- Na verdade Paris é mais bonita com chuva...
- É o que sempre digo
- Concordo plenamente
- Sim, é bem mais bonita!

Diálogo já no final do filme "Meia noite em Paris"




O passado não passou...
é um tempo insatisfatório porque a vida é insatisfatória...
tempo, tempo, tempo, tempo
vou lhe fazer um pedido
não me deixe esquecer como é bom
amar... 

domingo, 21 de julho de 2013

ela adora bolo do chocolate, com muita calda... de chocolate...
chegou pra mim e disse: "mamãe me lambuzei de calda de chocolate, olha a minha blusa!"
Eu limpei a blusinha dela, olhei pra ela e disse: "filha, faz parte da infância se lambuzar de chocolate, aliás, é bom na infância, na adolescência, na velhice... em qualquer idade é bom a gente se lambuzar de chocolate, não é?"
Ela sorriu e disse "Eu te amo mamãe" um tantão de vezes...
  

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Octávio Paz


La Poesia
¿Por qué tocas mi pecho nuevamente?
Llegas, silenciosa, secreta, armada,
tal los guerreros a una ciudad dormida;
quemas mi lengua con tus labios, pulpo,
y despiertas los furores, los goces,
y esta angustia sin fin
que enciende lo que toca
y engendra en cada cosa
una avidez sombría.
El mundo cede y se desploma
como metal al fuego.
Entre mis ruinas me levanto,
solo, desnudo, despojado,
sobre la roca inmensa del silencio,
como un solitario combatiente
contra invisibles huestes.
Verdad abrasadora,
¿a qué me empujas?
No quiero tu verdad,
tu insensata pregunta.
¿A qué esta lucha estéril?
No es el hombre criatura capaz de contenerte,
avidez que sólo en la sed se sacia,
llama que todos los labios consume,
espíritu que no vive en ninguna forma
mas hace arder todas las formas
con un secreto fuego indestructible.
Pero insistes, lágrima escarnecida,
y alzas en mí tu imperio desolado.
Subes desde lo más hondo de mí,
desde el centro innombrable de mi ser,
ejército, marea.
Creces, tu sed me ahoga,
expulsando, tiránica,
aquello que no cede
a tu espada frenética.
Ya sólo tú me habitas,
tú, sin nombre, furiosa sustancia,
avidez subterránea, delirante.
Golpean mi pecho tus fantasmas,
despiertas a mi tacto,
hielas mi frente
y haces proféticos mis ojos.
Percibo el mundo y te toco,
sustancia intocable,
unidad de mi alma y de mi cuerpo,
y contemplo el combate que combato
y mis bodas de tierra.
Nublan mis ojos imágenes opuestas,
y a las mismas imágenes
otras, más profundas, las niegan,
ardiente balbuceo,
aguas que anega un agua más oculta y densa.
En su húmeda tiniebla vida y muerte,
quietud y movimiento, son lo mismo.
Insiste, vencedora,
porque tan sólo existo porque existes,
y mi boca y mi lengua se formaron
para decir tan sólo tu existencia
y tus secretas sílabas, palabra
impalpable y despótica,
sustancia de mi alma.
Eres tan sólo un sueño,
pero en ti sueña el mundo
y su mudez habla con tus palabras.
Rozo al tocar tu pecho
la eléctrica frontera de la vida,
la tiniebla de sangre
donde pacta la boca cruel y enamorada,
ávida aún de destruir lo que ama
y revivir lo que destruye,
con el mundo, impasible
y siempre idéntico a sí mismo,
porque no se detiene en ninguna forma
ni se demora sobre lo que engendra.
Llévame, solitaria,
llévame entre los sueños,
llévame, madre mía,
despiértame del todo,
hazme soñar tu sueño,
unta mis ojos con aceite,
para que al conocerte me conozca.

música

o que tenho ouvido ultimamente?
Lô Borges, muito...
Beto Guedes... um pouco menos, mas também muito...
Cazuza,
Chico,
trilhas sonoras de bons filmes
jazz clássico
é o que tem pra hoje, amanhã e sempre...rs

Frida e Diego


café


férias

férias
pra descansar a cuca
comer e beber com calma
viajar com quem se ama
acordar tarde
fazer café
cheirar o café sem pressa...
tomar vinho português
ver muitos filmes
curtir a criançada da família
e os grandinhos também
minha pequena, minha vida
curtir o frio embaixo das cobertas
curtir o frio pegando a estrada
andar a cavalo
respirar o ar do interior
ler poesia, história, boa literatura
caminhar
ouvir boa música
curtir boas livrarias
fazer planos
sonhar
deitar na rede
conhecer
descobrir
e voltar
e começar tudo outra vez



Um bom ano

adoro a fotografia e a trilha sonora do filme "um bom ano" de Ridley Scott

tempo

o tempo
cura
cicatriza
cala
ensina

sexta-feira, 14 de junho de 2013

e eu vou te guardar pra sempre dentro de mim... mesmo que você não saiba...

sábado, 1 de junho de 2013

viver é bom....


"Eu quero a sorte de um amor tranquilo... com sabor de fruta mordida..." Cazuza
novos ventos... deixar acontecer... 

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Uma verdade...

"Os olhos da cobra verde
Hoje foi que arreparei
Se arreparasse a mais tempo
Não amava quem amei"  

Do melhor CD de Caetano, Transa. 
It's a long way



sexta-feira, 5 de abril de 2013

pensando em filmes que despertam o paladar:

Chocolate, com Juliette Binoche, lógico que dá vontade de derreter uma bela barra de chocolate...
Sem Reservas, com Catherine Zeta-Jones, esse dá vontade de comer muitas coisas... um belo espaguete com molho de tomate e manjericão fresco, pizza feita em casa e um belo Tiramussu...
A festa de Babette, com Stéphane Audran, que desperta a vontade de fazer todo um banquete...
Um Bom Ano, com Russel Crowe e Marion Cotillard, que além da ótima trilha sonora desperta a vontade de um bom vinho tinto...



 

terça-feira, 5 de março de 2013

tudo é silêncio e de repente... tudo muda
sim, eu sei
agora eu sei
ou pelo menos entendo
essa música
a essa hora da madrugada
inquieta mais do que acalma
eu não lidava com o a vida do
jeito que faço agora
me desculpe
tudo poderia ter sido tão mais fácil
muitas coisas mudaram
mas com você me sinto igual
sempre
quero fazer tantas coisas...
e quanto a nós
isso não deve parecer tão dramático
pode parecer mais simples do que realmente é
é só deixar acontecer...
....
 
Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas;
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!
Florbela Espanca

Coldplay - Don't Panic


as vezes eu acho que está tudo irremediavelmente estragado...
Por que és assim tão escura, assim tão triste?!
É que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma Saudade igual à que eu contenho!
Florbela Espanca/Len Cowgill
um dia
bastaria
é o que preciso

um dia apenas
por inteiro
sem promessas ou amanhã
um dia

com você

segunda-feira, 4 de março de 2013

é madrugada. até tentei  não pensar em você, em não desejar que você me procure de novo. até pensei em realmente esquecer. mas alguma coisa me chama pra perto de você. um fime, uma música, um rosto, quadros na parede, livros, uma poesia... a perda do sono na madrugada.. e aqui está você, de volta aos meus pensamentos loucos... 

domingo, 17 de fevereiro de 2013

o dia a dia
movimento que pede flores e cores
pede que algo seja feito, realizado...
nem tudo acontece da forma como se planeja...
mas é preciso seguir em frente
se adaptar
reaprender...
 
tudo tão revirado
não há palavras,
um clarão
uma lembrança
sentimentos confusos
noites quentes
não há pertencimento
tudo parece errado
fora de lugar
ou esse lugar
é que não faz parte de mim!