quinta-feira, 31 de julho de 2008

Eu

Seu nada me consome
me cala
pra não dizer
que não sinto
e o que sinto
calo!

TSC


terça-feira, 29 de julho de 2008

...

“É necessário estar sempre embriagado. Tudo está aí: é a única questão. Para não se sentir o horrível fardo do Tempo que quebranta os vossos ombros e vos curva em direcção à terra, deveis vos embriagar sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, como quiserdes. Mas embriagai-vos.”

Charles Baudelaire

Mulheres e homens...

"As mulheres, durante séculos, serviram de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de refletirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural". Virgínia Woolf

Poema do diário de Frida

Diego. princípio
Diego. construtor
Diego. meu bebê
Diego. meu noivo
Diego. pintor
Diego. meu amante
Diego. meu marido
Diego. meu amigo
Diego. meu pai
Diego. minha mãe
Diego. meu filho
Diego. eu
Diego. universo
Diversidade na unidade.
Porque é que lhe chamo Meu Diego?
Ele nunca foi e nem será meu.
Ele pertence a si próprio.

Frida

Tempo e Espaço

Tempo e espaço
pra respirar
pra viver
pra ser
pensar
sorrir
chorar
esquecer
ou lembrar
pra brincar
e escrever
pra calar
fechar os olhos
sentir saudades
não sentir nada
ou tudo
pra abraçar
e ser abraçado
pra ser um
e ser muitos
revelar o novo
no velho
e seguir...
TSC

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Flow of Life

There is a time
when words are useless,
and feelings are here and there,
feeling you all
without leaving any place
for being rational, intellectual. . .

There is a timewhen you do not say, my love,
when love has no meaning,
when everything goes by,
without asking permission
to be here or to go there. . . .

There is a time
when you feel pushed to nowhere,
when life goes towards the unknown
and you just ask to go fast and fast,
to arrive there and perhaps, restart again. . . .

Rejane Planer
"Entre coisas simples
e outras tantas, tão complicadas
Entre o que entendo
e o que deixo de entender
Está esse amor que passa desapercebido
presente para sempre
E ausente, simplesmente"

REJANE SPIEGELBERG

Nada é impossível de mudar

Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo,
o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito
como coisa natural,
pois em tempo
de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.

Bertolt Brecht

Paulo Leminski

Eu
quando olho nos olhos
sei quando uma pessoa
está por dentro
ou está por fora
quem está por fora
não segura
um olhar que demora
de dentro de meu centro
este poema me olha

Convite

Poesia é brincar com palavras
como se brinca com bola,
papagaio, pião.
Só que bola, papagaio,
pião de tanto brincar se gastam.
As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas mais novas ficam.
Como a água do rio
que é água sempre nova.
Como cada dia
que é sempre um novo dia.
Vamos brincar de poesia?

José Paulo Paes

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Clarice

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi."
....
"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo".
....
"É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo".
....
"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros".
...
"E é inútil procurar encurtar caminho e querer começar já sabendo que a voz diz pouco, já começando por ser despessoal. Pois existe a trajetória, e a trajetória não é apenas um modo de ir. A trajetória somos nós mesmos. Em matéria de viver, nunca se pode chegar antes. A via-crucis não é um descaminho, é a passagem única, não se chega senão através dela e com ela. A insistência é o nosso esforço, a desistência é o prêmio. A este só se chega quando se experimentou o poder de construir, e, apesar do gosto de poder, prefere-se a desistência. A desistência tem que ser uma escolha. Desistir é a escolha mais sagrada de uma vida. Desistir é o verdadeiro instante humano. E só esta, é a glória própria de minha condição. A desistência é uma revelação".
....
Hoje não quero escrever... não agora... minha leitura da Clarice hoje fala por mim...

...

"...estou procurando, estou procurando. Estou tentando me entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda".
Clarice Lispector
Gosto da Clarice porque ela escrevia com a alma, e ao ler seus livros é como se a gente pudesse sentir a sua dor com o mundo... é como ler algo que a gente gostaria de ter escrito, mas não sabia como...

Machado de Assis

Há coisas que melhor se dizem calando.

...

"O passado é que veio até mim, como uma nuvem, vem para ser reconhecido; apenas não estou sabendo decifrá-lo".
João Guimarães Rosa

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Um pouco de mim que não nega
e um pouco que esquece
um pouco que chega
e outro pouco que se afasta
medo? talvez....
mas ainda amor...

...

"Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo".

Pablo Neruda


Nós

"Para meu coração basta teu peito
para tua liberdade bastam minhas asas.
Desde minha boca chegará até o céu
o que estava dormindo sobre tua alma".

Pablo Neruda

?

...

Tudo novamente volta forte e claro
e de repente se esconde...
uma incerteza que cresce e toma todos os sentidos
procuro uma fuga pra esquecer
um caminho pra seguir
um lugar aberto pra respirar
uma música suave pra ouvir
procuro ver você
quando fecho os olhos
ver seu sorriso
sentir seu calor
procuro nao me perder longe de você
encontrar o caminho de volta
e seguir...

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Futuros Amantes

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa ele pode esperar
Em silêncio num fundo de armário
Na posta-restante milênios, milênios No ar
E quem sabe, então o rio será

Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas sua alma, desvãos
Sábios em vão tentarão decifrar

O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas mentiras,
Retratos vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não que nada é pra já

Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia deixei pra você
Chico

Vinicius

Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham a você.
Assim como o Oceano, só é belo com o luar
Assim como a Canção, só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem, só acontece se chover
Assim como o poeta, só é bem grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor, não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você!

Só poetas

Só poetas: Drummond, Vinicius, Bandeira, Quintana e Paulo Mendes Campos, na casa do cronista Rubem Braga. Rio de Janeiro, 1966

Nada espero...vivo

Sem esperas
Sem certezas
no silêncio
no momento
você
calor
pele
cheiro
noite
nada sei
nem procuro
mas realizo
neste momento
um pouco deste desejo...

quarta-feira, 16 de julho de 2008

O amor antigo

O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

Carlos Drummond de Andrade
Você aqui tão perto
mas em muitos momentos
chego a desejar que você esteja distante
Por alguns segundos
volto a te amar
com fúria
e sabor
e de repente
tudo se perde novamente
como uma névoa escura
que nunca se dissipa...

domingo, 13 de julho de 2008

Não sei o que se passa
aqui dentro de mim
com tanta coisa acontecendo
tanto por fazer
tanto por pensar
é em você que meu coração está!
Não falarei tudo o que sinto
não demonstrarei minhas fraquezas
não te ofereço esse silêncio
me calo pra não dizer
o que sinto por você!
O que você pensa
sente
quando vai embora
e meu cheiro fica impregnado no seu corpo
quando você sente
que minha saudade te chama
e implora por você?
fases e mistérios
lua do dia
dia claro
tudo se confunde
e inspira...
viagens
e sonhos
perdidos?
Meu vazio de você
se esquece de esquecer
lembra volta ama e odeia
cala consente e chama
pede e implora ajuda pra não partir
e voltar a acender uma chama que se apaga

Lua nua

Lua nua de segredos
degredos
sonhos
pontes e ruas
não me deixe só
porque eu partiria sem olhar atrás...
Suportei teu silêncio
tuas palavras duras
teu momento amargo
teu desprezo
tua doçura
teu calor
tua ausência
teus medos
tuas mentiras
tuas verdades escondidas
teus desejos
tuas vontades
tua espera
tua saudade
tua partida
e...
então
aguardo
tua volta!
Por onde andam meus pensamentos
vagos como o tempo
ali você está
e mesmo que eu chegue a achar que me esqueço...
você continua ali
tão forte
...

me calo
porque não poderia dizer aqui
o que sente hoje esse meu tão inquieto e irracional coração...

Saudade

Saudade
palavra que dói
os olhos se fecham
tentam criar sua imagem
sentir seu cheiro
seu abraço
seu calor
seu conforto
suas mãos
em alguns momentos
tudo parece mais fácil
meu corpo parece esquecer
e de repente
sua presença se faz sentir
tão forte
tão sua
não há motivos
nada
não há nada
só essa saudade....

Me perdi

Me perdi em você
e nunca mais me encontrei
procuro um refúgio
em meio a essa saudade
chego a acreditar que te esqueço
e de repente
ali está você de novo
mais presente do que tudo ao redor
não entendo
de onde vem
como sobrevive
é um sentir
mais forte
do que eu possa controlar
é uma espera
uma espera
pronta a devorar você!
Só mesmo você conseguiria entender
tantas palavras soltas
loucas
com sede de você!

domingo, 6 de julho de 2008

Clarice Lipector

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.
...
Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Florbela...

"A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente".

Cegueira Bendita

Ando perdida nestes sonhos verdes
De ter nascido e não saber quem sou,
Ando ceguinha a tatear paredes
E nem ao menos sei quem me cegou!

Não vejo nada, tudo é morto e vago…
E a minha alma cega, ao abandono
Faz-me lembrar o nenúfar dum lago
´Stendendo as asas brancas cor do sonho…

Ter dentro d´alma na luz de todo o mundo
E não ver nada nesse mar sem fundo,
Poetas meus irmãos, que triste sorte!…

E chamam-nos a nós Iluminados!
Pobres cegos sem culpas, sem pecados,
A sofrer pelos outros té à morte!

Florbela Espanca - Trocando olhares - 24/04/1917

Acalanto pra você


Eu canto pra você dormir

A terra gira sem ter fim

O sol se esconde não sei

Onde

Escurece a noite cresce

Eu canto e você já dormiu

A terra gira por um fio

A lua brilha, minha filha

Eu canto este acalanto



Composição: Ná Ozzetti/Nico Prates/Edith Derdyk




sexta-feira, 4 de julho de 2008

Flores na janela


Flores na janela

Uma vida que se abre

E esquece de esquecer

Pelo menos uma trégua

Pra tentar descobrir

Se ainda é amor!


O amor




Vinicius estava certo quando disse "o amor só é bom se doer"?


Fiquei pensando nisso hoje....
Resposta que encontrei na net... pra pensar...
"Bem, o amor é uma síndrome que só se manifesta pelos sintomas. A dor de amor é a principal. Amor sem dor é como chocolate light, calcinha bege, salada de chuchu, caça à onça paraplégica: a gente não pode ser contra isso tudo, mas não dá para ser o contrário. Falta algo, a malícia, o risco, a dor, a culpa. O amor é um produto tarja preta, Manu, tem que ter efeitos colaterais, tem que maltratar. Pois eu acho que só ama mesmo aquele que diz: "Ela (e) não merece, mas eu amo, porra!"
Será?

quinta-feira, 3 de julho de 2008

"- Sê uma amante até à morte. Todos os dias começarei com uma ária sobre a tua beleza e encanto. Ao almoço ofereço-te flores, de joelhos, e todas as noites farei o papel de amante apaixonado. Vamos ver quanto tempo aguentas essa vida." in Uma lição de amor, de Ingmar Bergman



...

Pode o amor ser completo, pleno
se o ser amado não vê sua alma?
Não sente o que diz o teu silêncio?
Pode-se ainda amar o perdido?

"Amar o perdido
deixa confundido
esse coração" (Drummond)

Vou caminhando

Vou caminhando
E não espero voltar atrás
Não me chame
Não reclame
Não perturbe
Me deixe

Calo
Não sinto
Sinto
Vivo!