sexta-feira, 15 de maio de 2009

Drummond rende noites inteiras de deleite e de poesia
inesgotáveis horas de leitura que alimenta a alma, 
quem mais poderia dizer com tanto reconhecimento e classe
que a "boca está comendo vida, a boca está entupida de vida, a vida
escorre da boca, lambuza as mãos, a calçada. A vida é gorda,
oleosa, mortal, sub-reptícia"?    
....

"Carlos, sossegue, o amor
é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe
o que será".



E eu fico tentando lembrar quando foi que ele começou a existir pra mim.... foi há muito tempo... e eu ainda era uma criança... lendo o "poder ultrajovem"...  


Nenhum comentário:

Postar um comentário