sábado, 1 de março de 2008

Beleza


Quanta beleza que a gente descobre quando simplesmente deixa a vida acontecer e deixa o passado onde ele deve estar... como memória... como experiência... como vivido... e não como uma sombra a se manifestar no presente. Beleza nas pessoas que amamos, nas crianças, nos filhos, na fé, na força, nas palavras dos livros, na arte, na madrugada, nos sons, nas cores, na chuva, nas tardes de sol, nas plantas, na maturidade, nas descobertas, no novo, no óbvio, no encantamento, nos olhos, no aconchego do lar, no cheiro da comida feita em casa, no café, no corpo saído do banho, no bolinho de chuva, no jornal lido na manhã de sábado, na noite preguiçosa ao som de Elis e no livro de Guimarães Rosa.... Há beleza na leitura do burrinho pedrês, na tristeza do canto do menino, na boiada que estoura e que segue pelas paisagens das riquezas de Minas.... Minas de Drummond, Minas de João, Minas das Gerais... "do jeito mais natural, dois carinhos se procuram."


Clarear


Nenhum comentário:

Postar um comentário