terça-feira, 13 de outubro de 2009

Pétala

O seu amor, reluz que nem riqueza
Asa do meu destino
Clareza do tino pétala, de estrela caindo bem devagar
Oh meu amor, viver
É todo sacrifício feito em seu nome
Quanto mais desejo, um beijo, um beijo seu
Muito mais eu sinto gosto em viver

Por ser exato, o amor não cabe em sí
Por ser encantado, o amor revela-se
Por ser amor, invade e fim

Djavan

Nenhum comentário:

Postar um comentário