sábado, 5 de abril de 2008

Minha sede de liberdade


É estranho
como minha sede de liberdade
me leva até você
como você representa
a necessidade de caminhar
de ir
e vir
e calar
e ouvir
e ver você sorrir
O seu mundo
tudo novo pra mim
e velho ao mesmo tempo
pois já estava aqui
mas eu não queria ver
você abriu janelas
portas
caminhos
acendeu as luzes
e eu deixei você partir
mas senti você no meu silêncio
senti que você ainda tinha deixado um rastro
uma saudade
uma vontade
de saber
de viver
de querer
nos dias frios
com pouca luz
com todos os sons
muitas palavras e
muito silêncio... tudo a seu tempo... C

Nenhum comentário:

Postar um comentário