domingo, 20 de abril de 2008

Como?

Como foi possível perder-te...
Sem nunca ter te achado?

Nada fomos
além da fantasia

Nada vivemos
além da minha própria saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário