domingo, 22 de junho de 2008

Essa saudade

Não sei o que se passa
Tudo que sei é que não existem certezas
Tudo é tão frágil
E tão mudo

As palavras são forçadas
Por que o silêncio é sempre maior que tudo

São pressentimentos
Que não me deixam esquecer
E não me deixam acreditar
Que não devo mais ocupar meus pensamentos com essa saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário