quinta-feira, 16 de abril de 2009

O amor - Marcel Duchamp

O sono não vem, o que vem são pensamentos, não tão soltos como gostaria, já passam das 2 horas da manhã e o frio chegou até aqui... eu me calei e também não quis ouvir... a vida não cabe em rótulos e formas, em partes pré-fixadas nas paredes e almas... tudo isso me leva pra mais perto do que sou... do que sou agora porque amanhã já serei algo que ainda não sei... e nossos passos se estranham, se confundem, se apartam, dão voltas e perdem a direção... e de repente na noite dessa cidade louca, uma ruazinha de terra em meio a selva de pedra, um lugar perdido a poucos minutos do marco zero... um hiato no tempo e no espaço, uma pergunta em meio a tantas outras que passam a povoar a mente confusa e inquieta... aonde eu estava quando não estava assim em mim?



Clarear


Nenhum comentário:

Postar um comentário