quarta-feira, 25 de março de 2009

MATITA PERÊ


(...)
E por maus caminhos de toda sorte

Buscando a vida, encontrando a morte

Pela meia rosa do quadrante Norte João, João

Um tal de Chico chamado Antônio

Num cavalo baio que era um burro velho

Que na barra fria já cruzado o rio

Lá vinha Matias cujo o nome é Pedro

Aliás Horácio, vulgo Simão Lá um chamado Tião

Chamado João

Recebendo aviso entortou caminho

De Nor-Nordeste pra Norte-Norte

Na meia vida de adiadas mortes

Um estranho chamado João

No clarão das águas

No deserto negro

A perder mais nada

Corajoso medo

Lá quero ver você

Por sete caminhos de setenta sortes

Setecentas vidas e sete mil mortes

Esse um, João, João

E deu dia claro

E deu noite escura

E deu meia-noite no coração

Olerê, quero ver

Olerê

(...)

Matita Perê (Antonio Carlos Jobim e Paulo César Pinheiro)
Homenagem a: Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade e Mario Palmério.


Nenhum comentário:

Postar um comentário