quinta-feira, 1 de maio de 2008

"- O senhor - respondi - falou da vontade. Nos contos de Mabinogion, dois reis jogam xadrez no alto de uma colina, enquanto embaixo seus guerreiros combatem. Um dos reis ganha a partida; um cavaleiro chega com a notícia de que o exército do outro foi vencido. A batalha de homens era o reflexo da batalha do tabuleiro.- Ah, uma operação mágica - disse Zimmermann.Respondi-lhe:- Ou a manifestação de uma vontade em dois campos diferentes."
Guayaquil, de Jorge Luis Borges, in Obras Completas, volume 02, pág 475

"A tela negra ocupando nossa visão e, logo, um clarão acompanhado por um coro. Em seguida, outro clarão que vai definindo o tenebroso céu claro-escuro. Uma águia paira no céu, como se flutuasse numa maré calma de fim de tarde. A introdução de "O sétimo selo" (Det Sjunde Inseglet, 1956), de Ingmar Bergman, nos aterroriza e deslumbra ao mesmo tempo, preparando o terreno para a história que está para ser contada..." por Hugo Harris

Sobre o filme o Sétimo Selo, de Bergman


Nenhum comentário:

Postar um comentário