quinta-feira, 2 de junho de 2011

Eu quero a sorte de um amor tranqüilo/ Com sabor de fruta mordida / Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva (...)
Cazuza

Nenhum comentário:

Postar um comentário