sábado, 1 de maio de 2010

Enquanto um homem puder morrer de fome à porta de um palácio do qual tudo transborda, não haverá nada de estável nas instituições humanas. Eugène Varlin, anarquista sindicalista francês (1839 - 1871).

Nenhum comentário:

Postar um comentário