sábado, 12 de setembro de 2009

Primeiro sinto o silêncio, como se somente ele nesse momento me alimentasse a alma... depois calo em meus próprios pensamentos e então procuro algo que diga aquilo que eu gostaria de dizer agora. São poucas as chances de encontrar um texto assim, mas as vezes acontece... acontece mais com Drummond, com Clarice, com Caio Fernando Abreu... também pode ser uma letra do Chico... quase sempre certeira... mas há vazios impenetráveis esperando uma presença que nunca se completa... e uma luz que nunca se apaga...

Nenhum comentário:

Postar um comentário